Como Melhorar a Gestão Financeira da Empresa – Opere Com 2 Bancos

,

Você, como empresário, está sempre pensando em como reduzir o risco financeiro da empresa? Com certeza essa é uma das suas maiores preocupações, não é mesmo? Mas, então, o que você faz para evitar o risco financeiro? Já pensou que a quantidade de bancos que sua empresa trabalha pode influenciar diretamente nisso?

Portanto, já vou adiantar que a minha dica é que você, no mínimo, trabalhe com dois bancos, assim como exemplifico no vídeo abaixo:

Vídeo COMO MELHORAR A GESTÃO FINANCEIRA DA EMPRESA – OPERE COM 2 BANCOS

Por que é importante evitar a fragilidade financeira?

A fragilidade financeira é apenas uma das 11 fragilidades que derrubam sua empresa, mas, assim como qualquer outra, ela também deve ser evitada para que o seu negócio cresça de maneira sustentável.

Como exemplifico no vídeo, na minha empresa eu trabalho com dois bancos! E você sabe o motivo? Faço isso justamente para poder negociar sempre com os dois, ou seja, quando preciso de algo, principalmente de crédito, sempre fecho com aquele que está com a menor taxa.

Mas, e se minha empresa trabalhasse com apenas um? É claro que o risco financeiro seria muito maior. Com dois bancos você consegue economizar nas taxas e, consequentemente, garantir a saúde financeira do seu negócio! Por isso é tão importante saber como reduzir o risco financeiro da empresa.

Como reduzir o risco financeiro da empresa

É válido mencionar que a recomendação para trabalhar com dois bancos a fim de melhorar o fluxo de caixa e reduzir o risco financeiro é para as médias e grandes empresas. Caso você tenha, por exemplo, um pequeno negócio com apenas um ou dois funcionários, há exceções. Nesse caso, é possível trabalhar somente com um banco. Mas, isso realmente se restringe a esses casos.

Portanto, se você tiver uma média ou grande empresa, a dica de operar com dois bancos continua. Afinal, nada pior do que ficar sem dinheiro na empresa, certo?

Você já imaginou que se a sua empresa contar com apenas um banco você pode ficar na mão quando mais precisar? Simplesmente não dá para ficar sem pagar as contas, certo? Uma empresa precisa de dinheiro! Sendo assim, veja a seguir os principais motivos para sua empresa trabalhar com dois bancos, e nunca com um só.

Negociar melhores taxas

O primeiro motivo para trabalhar com dois bancos é que, conforme já abordado anteriormente, você consegue negociar melhores taxas com ambos. Como um empresário, você com certeza deve saber que os bancos, atualmente, cobram taxa para quase todos os serviços.

E, como você vai precisar negociar empréstimos e financiamentos com o banco, já que ficar sem dinheiro na empresa é impossível, é fundamental ter mais de uma opção para escolher. Dessa forma, dependendo do pacote que você tem contratado com um determinado banco, vai pagar mais ou menos tarifas.

A partir do momento em que sua empresa possui mais capacidade de negociação, ela ganha mais força. Portanto, sempre tenha no mínimo dois bancos para conseguir analisar qual é o melhor para cada situação.

Não deixar o dinheiro em apenas um lugar

Outra razão para que sua empresa trabalhe com dois bancos, ao invés de um, faz parte daquela velha lição que você já deve ter ouvido dos seus pais ou dos seus avós: não coloque todos os ovos em uma única cesta. Mas, como assim? O que isso quer dizer?

Isso quer dizer que você não deve colocar todo o seu dinheiro em um só lugar, em um só banco, tanto como pessoa jurídica quanto como pessoa física. Não importa! É sempre melhor distribuir esse dinheiro em mais de um banco.

Hoje, quando se fala no mercado bancário tudo está mais calmo, é claro. No entanto, no passado, diversos empresários tiveram problemas ao contar com um banco só. Afinal, quando o banco quebra e fecha não é possível lançar mão do dinheiro no momento desejado.

Não ficar sem dinheiro na empresa

Por fim, o terceiro e último motivo para trabalhar com dois bancos é reduzir o risco de ficar na mão de uma hora para outra.

Ou seja, quando você tem só um banco negociando, ele pode por uma razão qualquer lhe descredenciar ou resolver aumentar as taxas.  Ou surge uma despesa inesperada que você não esperava, um imposto novo ou alguém lhe colocou na justiça e você vai precisar de um empréstimo para pagar o problema que aconteceu. E, se você tiver um banco só, naquele momento, ele pode fechar as portas e você não terá a quem recorrer quando se fala em dinheiro.

Então, vai ter que pedir emprestado de amigo, parente, que eu sei que você não quer isso de forma nenhuma. Nesse sentido, trabalhar com dois bancos reduz o risco de você ficar na mão de uma hora para a outra.

Isso já aconteceu comigo, em uma determinada situação eu precisei de um recurso, mas eu não tinha atualizado meu cadastro e o banco não tinha me avisado de nada e quando eu precisei do dinheiro eu não tinha. Por sorte eu tinha outro banco para lançar mão.

Portanto, é fundamental saber como reduzir o risco financeiro da empresa a fim de sempre garantir um bom fluxo de caixa! Quer saber sobre outras fragilidades que podem afetar e derrubar a sua empresa? Então CONFIRA NO MEU LIVRO as 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa tudo de forma detalhada.

Para estar sempre por dentro de dicas de como reduzir as fragilidades e o risco financeiro da sua empresa, INSCREVA-SE NO MEU CANAL DO YOUTUBE e faça parte da melhor audiência de empresários do Brasil.

Por Que é Vital Comunicar a Missão da Empresa ao Funcionário?

,

Quais são os objetivos da empresa? Com certeza você pensou em vários como, por exemplo, crescer e expandir, não é mesmo? Afinal, você sabe decorado quais são as metas do negócio! Mas, e quanto aos seus funcionários? Eles também estão afiados e prontos para responder esta pergunta?

Muitos empresários não imaginam o grande impacto que um colaborador consciente e que veste a camisa da empresa tem sobre o negócio. Entretanto, o conhecimento da missão da empresa, bem como seus valores e objetivos, tem o poder de fazer toda a diferença no dia a dia a dia, melhorando os resultados de forma significativa.

Em pouco mais de 4 minutos dou um ótimo exemplo sobre o tema. Veja porque é de vital importância que o funcionário entenda qual é a missão defendida, a missão da empresa:

VÍDEO – POR QUE É VITAL COMUNICAR A MISSÃO DA EMPRESA AO FUNCIONÁRIO?

Saber como contratar bons funcionários é só o primeiro passo

Quando se trata da fragilidade do colaborador, muitos empresários entendem que dar atenção apenas a contratação de bons profissionais é o suficiente. Afinal, se você já se dedicou ao recrutamento e seleção, não tem mais com o que se preocupar, certo?

Não, errado! Mais do que saber como contratar bons funcionários, é importante que a empresa adote a política de comunicar a missão da empresa assim que contratar um novo colaborador. O funcionário deve ser apresentado também aos valores da empresa e aos seus objetivos a fim de que se alinhe completamente com a sua função e colabore com tais metas.

Aliás, sempre que possível, ainda nas etapas de entrevista para a contratação, é bom que se apresente esses pontos para o possível funcionário. Tudo isso com o objetivo de que ele veja se a missão, os valores e os objetivos estão adequados para o que ele procura no mercado.

Você sabe qual é a importância da missão da empresa?

Até aqui você viu que é vital comunicar a missão da empresa para o funcionário, no entanto qual é a importância da missão no dia a dia das atividades? Em resumo, a missão da empresa é o motivo dela existir.

Geralmente é uma pequena frase que sintetiza um propósito e que, portanto, tem muito significado. Muitas vezes é necessário comunicar também este significado, uma vez que ele nem sempre estará explícito em poucas linhas.

A compreensão da missão da empresa leva o colaborador a vestir a camisa e falar como parte do negócio. Diferente do exemplo mencionado no vídeo, a partir do momento em que o funcionário entende as bases da empresa, ele tende a assumir uma postura diferenciada em que não se considera como sendo apenas mais um. Ele percebe que faz a diferença!

Agora, imagine toda a equipe compreendendo a missão, os valores e os objetivos da empresa!

Entenda a missão mais a fundo

Durante a construção da missão da empresa foi necessário que se pensasse em alguns pontos específicos do negócio, tais como: para quê a empresa existe e o que ela pode fazer. A missão também levou em conta o papel do negócio na sociedade e no mercado e respondeu perguntas simples sobre “por que fazemos” e “onde fazemos”.

Cada ponto deve ser comunicado para o colaborador com o objetivo de que ele nunca transmita uma imagem diferente desta, já pré-estabelecida, para o seu cliente. Por exemplo, por que a empresa abre aos finais de semana? Para prestar um excelente atendimento ao cliente e não simplesmente porque o negócio tem que abrir todos os dias.

Quanto mais o funcionário entender a missão, mais ele poderá defender o lugar em que está.

Os objetivos  e os valores da empresa

Vale mencionar ainda que os objetivos da empresa também devem ser de conhecimento geral dos colaboradores e isso porque, atrelar os objetivos do negócio aos do próprio funcionário, poderá engajar ainda mais sua equipe no trabalho.

Por exemplo, considerando que um dos objetivos do negócio é o crescimento e a expansão, e que os colaboradores também desejam melhorar suas funções e cargos, por que não atrelar um crescimento ao outro? A partir do momento em que colaborador perceber que o sucesso da empresa poderá significar seu próprio sucesso, a postura com certeza será diferenciada.

Por fim, também é fundamental que o colaborador saiba quais são os valores da empresa tão logo comece a atuar nela, visto que estes estão muitas vezes associados às bases do funcionário. Sendo assim, é importante que estejam o mais próximo possível um do outro para um melhor convívio.

Os valores da empresa falam muito sobre sua cultura organizacional e, portanto, devem ser mencionados ainda nas fases de entrevista e contratação.

Seu funcionário conhece a missão da empresa? Que ótimo! Que tal conferir agora se todas as 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa estão devidamente controladas? CONFIRA O CONTEÚDO COMPLETO DO MEU LIVRO. E se você gosta de acompanhar vídeos que abordam as melhores formas para se alcançar os objetivos da empresa não deixe de se inscrever no canal do YouTube. INSCREVA-SE.

Como Surpreender e Conquistar o Cliente (Dica Infalível)

,

Com certeza você sabe da importância do atendimento ao cliente dentro da sua empresa. Sem fidelizar e encantar, dificilmente um negócio consegue se destacar ou gerar o engajamento tão desejado por você.

É preciso sair da zona de conforto, entender o que pode ser feito para então surpreender e conquistar. Lembrando-se sempre de que existe o risco de perder clientes em todos os segmentos e áreas, confira no vídeo a seguir um exemplo de atenção com o cliente que se destacou em uma rede de franquias bastante conhecida.

A fragilidade do cliente

Sem dúvida, esta é uma fragilidade que realmente faz jus ao nome. Ou seja, é bastante volátil, já que lidar com o cliente nunca foi e nunca será fácil. Vale lembrar que cada um tem suas preferências, por isso é impossível agradar a todos com um mesmo comportamento ou medida.

Longe de ser uma matemática exata, é claro que nós, na função de empresários, podemos investir em algumas estratégias para agradar ao público e, com isso, fidelizá-lo. Entretanto, pode ser que pequenas coisas no dia a dia criem um resultado ainda melhor, como o caso exposto no vídeo, do atendente que fez questão de escrever meu nome da forma correta.

Para prestar um bom atendimento ao cliente é necessário se colocar no lugar do outro e imaginar como você gostaria de ser tratado. Além disso, é preciso alinhar toda a sua equipe de trabalho de forma a garantir que qualquer colaborador do negócio faça exatamente o mesmo.

Diminuir os riscos de perder clientes é uma estratégia contínua e que sua empresa precisa aderir o quanto antes.

Como aumentar as vendas com um bom atendimento

Diretamente ligada ao bom atendimento, a estratégia sobre como aumentar as vendas deve considerar que quanto mais encantado e engajado o cliente estiver, melhor. Nesta situação, a pessoa volta várias vezes até o seu negócio porque sabe que ali encontrará algo de bom.

Pode ser que nem sempre o cliente faça uma compra, mas se encontrar um bom atendimento, com certeza ele agregará valor ao seu estabelecimento, procurando-o como primeira opção tão logo precise de algo que sua empresa tem a oferecer.

Além disso, quando existe a necessidade de aumentar as vendas, o primeiro público a ser procurado é justamente este que se encontra mais próximo, que já está fidelizado e que, muitas vezes, recebe suas promoções e campanhas direto no celular ou no e-mail.

Mantenha um bom padrão de atendimento e encante

A reputação de um negócio é muito importante para o mercado. Sendo assim, tenha em mente que você precisará manter um bom padrão de atendimento regularmente, para que a empresa continue a ser bem conceituada na praça. As quedas de qualidade não costumam ser toleradas.

Mesmo que o cliente tenha sido fidelizado há anos, se ele perceber esta diminuição na qualidade do produto ou serviço (algo que acontece com bastante frequência durante a expansão de um negócio) ele simplesmente procurará no mercado por seus concorrentes para ter uma qualidade semelhante a que encontrava antes em sua empresa.

Ao invés de entregar o cliente de mãos beijadas para outro negócio, que tal investir em estratégias de fidelização e encantamento? A fidelização pode se dar a partir de várias campanhas, já o encantamento ocorre a partir de atitudes que muitas vezes são simples e sequer custam muito para a empresa ou para o funcionário.

Em resumo, tenha a mentalidade de dar o melhor para o cliente e o resto acontecerá também!

Espelhe-se em bons exemplos

Por fim, quer saber como fazer a sua empresa crescer? Que tal olhar com atenção para os grandes negócios? Antes de serem grandes, essas empresas já foram pequenas e começaram no mercado a partir de algum ponto. Evidentemente elas fizeram algo que deu muito certo e que as possibilitaram crescer. Por que não se espelhar nessas ações?

No vídeo, você pode conferir um exemplo de ótimo atendimento que eu recebi em uma loja de franquia. Acredite: esse mesmo bom atendimento ao cliente deve ser encontrado em outras inúmeras lojas, pois os colaboradores são treinados para encantar.

E, por falar em treinamento, seus funcionários são seus primeiros clientes. Mantê-los satisfeitos com a sua empresa significa encantar a um maior número de clientes que chegam!

Para saber como aumentar as vendas é indispensável ficar atento As 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa, já que quanto mais controladas e estáveis elas estiverem, melhores serão seus resultados. Aproveite para ter acesso a este CONTEÚDO COMPLETO DO LIVRO.

Por fim, para fazer parte da melhor audiência de empresários do Brasil, o convite é para que você acesse e se inscreva no meu canal no YouTube. Lá, regularmente serão postados vídeos curtos e diretos que vão lhe ajudar a encontrar formas sobre como fazer a empresa crescer. INSCREVA-SE agora mesmo.

Entenda qual a importância do colaborador para sua empresa e como valorizá-lo.

,

importância do colaborador para a sua empresa é bastante expressiva como você já sabe.Muito mais do que um número, seu funcionário é responsável por boa parte dos seus resultados, sejam eles bons ou ruins.

Devido a isso,é válido falar sobre como driblar o risco de contratar a pessoa errada, bem como o de perder bons colaboradores. Afinal, você não quer colocar tudo a perder, não é mesmo?

Confira no vídeo a seguir um resumo sobre a fragilidade do colaborador e o motivo pelo qual sua empresa deve se preocupar em contratar os melhores funcionários para atender ao cliente: Por Que o Colaborador é Tão Importante Para Sua Empresa?

O risco de contratar a pessoa errada

Quando o assunto é a importância do funcionário para a empresa um dos primeiros pontos a ser abordado se refere ao risco de contratar a pessoa errada. Quer um exemplo? Alguém que é tímido e que gosta de trabalhar na frente do computador para uma vaga de vendas.

A gestão de pessoas, especialmente na fase de recrutamento e seleção, precisa estar atenta às características pessoais dos candidatos antes de contratar alguém para determinada função. Só assim é possível ter bons colaboradores que prestem um serviço de excelência.

Na parte do atendimento direto ao cliente, é indispensável ter pessoas que gostem de se relacionar com o outro, assim como no exemplo que foi dado anteriormente novídeo. Este tipo de escolha certa faz toda a diferença no balanço geral do cliente, afinal, assim como você, todos gostam de ser bem tratados, não é mesmo?

O risco de contratar a pessoa errada está presente nos pequenos, médios e grandes negócios. Sendo assim, ninguém está imune à contratação de um funcionário que depois não contribuirá, ou até mesmo trará prejuízos, para a empresa.

Por isso, a dica é, além de se manter atento ao dia a dia do negócio, ouvir com atenção o feedback dos próprios clientes já que, sim, eles podem abandonar a sua empresa– e ir pagar mais caro no seu concorrente em alguns casos – quando não forem bem atendidos.

O risco de perder bons colaboradores

Além do setor de recursos humanos ter que administrar o risco de contratar a pessoa errada, é fundamental ainda que existam medidas e estratégias para driblar outro risco, chamado de risco deperder bons colaboradores.

Sabe aquele funcionário que todos os clientes elogiam e querem ter por perto em uma negociação ou para a realização de um determinado serviço? Pois bem, segure-o!

Na verdade, não é vantajoso para a empresa perder um colaborador que faz parte de seu quadro, a não ser em casos em que este já não se encaixe mais na operação do seu negócio.

Afinal, quais foram os investimentos feitos pela gestão de pessoas para que aquele determinado funcionário fosse lapidado e passasse a conhecer tudo sobre o negócio? Está disposto a perder todo esse investimento?

Especialmente se o colaborador traz resultados e é querido pelos clientes, a atenção deve ser redobrada. O risco de perder bons colaboradores está batendo à porta de várias organizações. Muitas das vezes são os seus próprios concorrentes fazendo ofertas melhores ou valorizando mais os colaboradores, fisgando cada um e deixando seu negócio no prejuízo.

Como sua empresa vai manter um funcionário bom? Quais são os pontos fortes do negócio para que o colaborador escolha ficar? É necessário que o setor de recursos humanos pense nisso!

Driblando a fragilidade do colaborador

Além de tomar cuidado para não contratar a pessoa errada e manter as boas na empresa, é importante reparar em mais alguns pontos quando o assunto é a fragilidade do colaborador, a saber:

  • Seu colaborador tem a habilidade necessária para estar no cargo em que ocupa? Apesar da boa vontade, é importante saber se o funcionário tem competência para estar ali;
  • Alguns de seus funcionários estão sempre na média e não progridem mesmo a empresa já tendo investido em treinamentos e cursos? Todo negócio tem e é preciso reciclar este tipo de colaborador ou demiti-lo;
  • A zona de conforto tem sido um empecilho para a empresa crescer? Pois bem, seu colaborador pode estar desanimado ou apenas sem coragem de tentar coisas novas. Nesse caso, o negócio pode dar certo apoio para manter seu ritmo de expansão;
  • A alta rotatividade acende o alerta de que o processo de recrutamento e seleção está sendo falho? Então a empresa pode rever as suas estratégias para melhorar a gestão de pessoas e ter resultados mais assertivos;
  • Por um descuido ou outro contratou uma pessoa sem personalidade e ética? Como reverter isso? Seria a demissão a melhor alternativa?

A fragilidade do colaborador é uma entre as várias fragilidades que podem atingir ao seu negócio impossibilitando seu crescimento ou ainda causando prejuízos. Aproveite para descobrir quais são os outros riscos da sua empresa no Livro As 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa!

Porque algumas normas atrasam as pessoas?

Você sabia que as normas e procedimentos que sua empresa cria podem estragar um bom colaborador? Mas como assim? As normas são feitas para ajudar, e não para atrapalhar. Calma, vou explicar isso melhor!

A verdade é que existem duas situações em que as normas podem comprometer o desempenho do seu melhor colaborador. Nesta matéria, você vai saber o que fazer para evitar esse tipo de problema.

Este é mais um conteúdo sobre as 11 Fragilidades, e hoje nós vamos falar da Fragilidade da Norma, de duas situações que podem arruinar um bom colaborador.

A primeira delas é a falta de normas, de regras de conduta e de procedimentos. Se a empresa não determina o que deve ser feito, se deixa tudo no ar, cada colaborador pode resolver agir segundo sua própria maneira de ser, segundo sua vontade.

E o perigo nesse caso é que as pessoas passem a atuar conforme a conveniência delas. Porém, uma empresa não funciona assim, à boa vontade dos outros. Uma empresa precisa ter regras claras sobre como proceder, ou ela não vai conseguir prestar os serviços, atender os clientes e atingir suas metas.

Não estou dizendo que a empresa precisa detalhar tudo a fazer, mas determinadas normas precisam ser cristalinas. Por exemplo, como as pessoas devem ser vestir na empresa e em visita a clientes, como um cliente deve ser cumprimentado e atendido, além de todas as questões relativas à ética.

O segundo caso que pode aniquilar um colaborador são normas e processos com defeito. Agora estamos falando do outro lado da moeda, pois as regras existem, mas são mal elaboradas, não foram pensadas direito. Ter normas em excesso, com burocracia demais, também atrasa as tarefas.

Por exemplo, você pede ao seu melhor vendedor para registrar tudo que acontece nas visitas aos clientes, mas um vendedor raramente gosta de fazer isso, ou ele não seria um bom vendedor. O que ele gosta mesmo é de conversar com o cliente, de convencer ele sobre a qualidade do produto. O desafio dele é vender e não perder tempo escrevendo um relatório longo de visitas. Sim, é recomendável que ele registre a visita, mas isso precisa ser feito de modo sucinto, com poucas palavras.

Outro bom exemplo envolve o atendimento ao cliente, que precisa ter um processo bem desenhado, eficiente, ágil e seguro ao mesmo tempo. O foco deve ser o cliente em primeiro lugar e não o processo da empresa em si.

Essas são as duas situações, tratando-se de normas, que podem estragar um colaborador. E a regra para resolver o problema é simples: as normas precisam, sim, existir, mas não existir por existir. As normas devem ser bem desenhadas e gerar sempre valor para o cliente e, ao mesmo tempo, aumentar a eficiência da empresa.

Apenas desse modo você controla a Fragilidade da Norma.