Como fazer a empresa crescer rápido (4/15) – Reduza o risco financeiro

, ,

Está querendo saber como fazer o negócio crescer? Então já parou para pensar alguma vez no risco financeiro? É isso mesmo. Diferente do que muitos empresários pensam, o fato de não ter dinheiro suficiente dentro da empresa faz com que inúmeros negócios fiquem estagnados ou até mesmo quebrem.

Mas, então, o que fazer para conseguir manter o crescimento da empresa? Como reduzir o risco financeiro? Se você tem essas dúvidas, não precisa mais se preocupar. Isso porque o vídeo a seguir irá mostrar algumas dicas importantes de como reduzir ou até mesmo evitar problemas financeiros.

Tenha sempre em mente que qualquer empresa precisa de dinheiro para crescer, certo? Levando isso em consideração, confira o vídeo a seguir:

Vídeo: Como fazer a empresa crescer rápido (4/15) – Reduza o risco financeiro

Risco financeiro

Você já ouviu alguma vez que dinheiro não é a coisa mais importante da vida? É muito provável que sim, não é mesmo? No entanto, o dinheiro com certeza torna a sua vida como empresário muito mais fácil.

Afinal de contas, é bem difícil conseguir manter um negócio com pouco dinheiro. Apesar disso, muitos empresários ainda acreditam que basta uma boa ideia para você desenvolver uma boa empresa.

Uma boa ideia é até mais importante do que dinheiro, mas ela não é suficiente. Vai ter uma hora que você vai precisar de dinheiro em caixa para continuar desenvolvendo o seu negócio. E sabe como fazer isso? Corrigindo a fragilidade financeira!

Ao fazer isso, será possível entender ao certo como captar dinheiro, não só através das vendas, mas também de outros instrumentos, além de aprender, principalmente, a como preservar o dinheiro que entra na sua empresa.

Assim, você conseguirá entrar em um círculo positivo de transformar dinheiro em mais dinheiro. Quer saber como fazer isso? Então veja algumas dicas logo abaixo.  

Como resolver a fragilidade financeira

Confira a seguir algumas medidas importantes que você, como empresário, precisa tomar para realmente conseguir saber como evitar problemas financeiros e, consequentemente, como fazer a empresa crescer.

1.      Livre-se de clientes deficitários

A primeira dica é se livrar dos clientes que são deficitários. De fato, alguns clientes trazem mais prejuízos do que lucros para o seu negócio. E isso por conta de vários motivos. Pode ser que você não saiba estimar adequadamente os projetos e acabe tendo prejuízos.

Então, é necessário tirar esse tipo de cliente da sua carteira para que seja possível conquistar clientes mais rentáveis. Você até pode admitir ter um cliente deficitário durante um tempo, mas quanto mais tempo demora, mais você acumula prejuízos e pode vir a ter um problema maior.

2.      Calcule a rentabilidade da empresa

A segunda medida é calcular a rentabilidade de empresa. Muitas vezes, nós, como empresários, achamos que o negócio está dando lucro, mas quando a questão é lucratividade não dá para simplesmente achar. Na verdade, é preciso saber ao certo se a empresa está dando lucro ou não.

Caso não saiba como fazer isso corretamente, é necessário aprender a calcular a rentabilidade. É comum que pequenos empresários não saibam como fazer isso, porque não possuem formação na área financeira.

Mas para evitar prejuízos é fundamental aprender ao certo como medir a rentabilidade da empresa e dos projetos maiores também.

3.      Controle o fluxo de caixa

A terceira medida é controlar o fluxo de caixa do negócio. O fluxo de caixa é a ferramenta mais eficaz e importante que você tem para conseguir controlar a saúde financeira da empresa. É lá que será possível encontrar as entradas e saídas de dinheiro. E o seu caixa deveria estar positivo a maior parte do tempo, quem sabe até mesmo o tempo todo.

Quando você olhar o seu caixa lá na frente, por exemplo, daqui a 12 meses, o ideal é que ele esteja sempre positivo. É claro que é difícil fazer isso, mas para a saúde financeira do negócio como um todo é muito importante. Então, esteja sempre olhando esse fluxo de perto. Afinal de contas, de nada adianta conseguir faturar milhões e ter um caixa deficitário, certo?

4.      Trabalhe com mais de um banco

A quarta medida é trabalhar sempre que possível com mais de um banco. Que você vai precisar de um banco para operar a sua empresa com certeza você já sabe, não é mesmo? Seja para obter um crédito eventualmente ou para ter uma conta garantida para situações emergenciais.

No entanto, tenha sempre em mente que trabalhar com mais de um banco é fundamental para não depender de apenas um lugar. Ao fazer isso, você consegue negociar, por exemplo, melhores taxas e se faltar crédito em um é possível contar com o outro banco também. Dessa forma, você consegue se prevenir e não ser pego de surpresa, principalmente em casos de emergência.

5.      Tenha um fundo de reserva

E a quinta e última medida é constituir um fundo de reserva. Isso significa guardar um pedaço do seu faturamento para usar para uma emergência ou até mesmo para um investimento futuro. Ou seja, é um dinheiro que fica guardado para usar caso seja necessário.

O ideal é reservar algo em torno de 3 até 10% do seu faturamento. Tudo vai depender do seu negócio em específico. Uma dica é guardar mais quando estiver faturando mais e vice versa.  Isso, inclusive, vai lhe dar mais tranquilidade, como empresário, para conseguir tocar o seu negócio.

Sendo assim, essas são as 5 medidas importantíssimas para conseguir resolver o risco financeiro. Esse risco é realmente muito perigoso. Na verdade, é um dos maiores motivos pelos quais as empresas quebram: falta de dinheiro.

Dessa forma, as fragilidades financeiras podem realmente causar um impacto negativo no seu negócio. Entretanto, no total existem 11 fragilidades que derrubam sua empresa. Para corrigir todas elas, inscreva-se para uma Mentoria Gratuita no link: http://as11fragilidades.com.br/mentoria/ para que depois de conhecer a sua empresa eu possa oferecer a mentoria máster.

Para ter acesso aos demais vídeos dessa série de como fazer a empresa crescer rápido é só se inscrever em meu canal no YouTube através desse link: http://bit.ly/CanalOthederaldo.

Como Melhorar a Gestão Financeira da Empresa – Opere Com 2 Bancos

,

Você, como empresário, está sempre pensando em como reduzir o risco financeiro da empresa? Com certeza essa é uma das suas maiores preocupações, não é mesmo? Mas, então, o que você faz para evitar o risco financeiro? Já pensou que a quantidade de bancos que sua empresa trabalha pode influenciar diretamente nisso?

Portanto, já vou adiantar que a minha dica é que você, no mínimo, trabalhe com dois bancos, assim como exemplifico no vídeo abaixo:

Vídeo COMO MELHORAR A GESTÃO FINANCEIRA DA EMPRESA – OPERE COM 2 BANCOS

Por que é importante evitar a fragilidade financeira?

A fragilidade financeira é apenas uma das 11 fragilidades que derrubam sua empresa, mas, assim como qualquer outra, ela também deve ser evitada para que o seu negócio cresça de maneira sustentável.

Como exemplifico no vídeo, na minha empresa eu trabalho com dois bancos! E você sabe o motivo? Faço isso justamente para poder negociar sempre com os dois, ou seja, quando preciso de algo, principalmente de crédito, sempre fecho com aquele que está com a menor taxa.

Mas, e se minha empresa trabalhasse com apenas um? É claro que o risco financeiro seria muito maior. Com dois bancos você consegue economizar nas taxas e, consequentemente, garantir a saúde financeira do seu negócio! Por isso é tão importante saber como reduzir o risco financeiro da empresa.

Como reduzir o risco financeiro da empresa

É válido mencionar que a recomendação para trabalhar com dois bancos a fim de melhorar o fluxo de caixa e reduzir o risco financeiro é para as médias e grandes empresas. Caso você tenha, por exemplo, um pequeno negócio com apenas um ou dois funcionários, há exceções. Nesse caso, é possível trabalhar somente com um banco. Mas, isso realmente se restringe a esses casos.

Portanto, se você tiver uma média ou grande empresa, a dica de operar com dois bancos continua. Afinal, nada pior do que ficar sem dinheiro na empresa, certo?

Você já imaginou que se a sua empresa contar com apenas um banco você pode ficar na mão quando mais precisar? Simplesmente não dá para ficar sem pagar as contas, certo? Uma empresa precisa de dinheiro! Sendo assim, veja a seguir os principais motivos para sua empresa trabalhar com dois bancos, e nunca com um só.

Negociar melhores taxas

O primeiro motivo para trabalhar com dois bancos é que, conforme já abordado anteriormente, você consegue negociar melhores taxas com ambos. Como um empresário, você com certeza deve saber que os bancos, atualmente, cobram taxa para quase todos os serviços.

E, como você vai precisar negociar empréstimos e financiamentos com o banco, já que ficar sem dinheiro na empresa é impossível, é fundamental ter mais de uma opção para escolher. Dessa forma, dependendo do pacote que você tem contratado com um determinado banco, vai pagar mais ou menos tarifas.

A partir do momento em que sua empresa possui mais capacidade de negociação, ela ganha mais força. Portanto, sempre tenha no mínimo dois bancos para conseguir analisar qual é o melhor para cada situação.

Não deixar o dinheiro em apenas um lugar

Outra razão para que sua empresa trabalhe com dois bancos, ao invés de um, faz parte daquela velha lição que você já deve ter ouvido dos seus pais ou dos seus avós: não coloque todos os ovos em uma única cesta. Mas, como assim? O que isso quer dizer?

Isso quer dizer que você não deve colocar todo o seu dinheiro em um só lugar, em um só banco, tanto como pessoa jurídica quanto como pessoa física. Não importa! É sempre melhor distribuir esse dinheiro em mais de um banco.

Hoje, quando se fala no mercado bancário tudo está mais calmo, é claro. No entanto, no passado, diversos empresários tiveram problemas ao contar com um banco só. Afinal, quando o banco quebra e fecha não é possível lançar mão do dinheiro no momento desejado.

Não ficar sem dinheiro na empresa

Por fim, o terceiro e último motivo para trabalhar com dois bancos é reduzir o risco de ficar na mão de uma hora para outra.

Ou seja, quando você tem só um banco negociando, ele pode por uma razão qualquer lhe descredenciar ou resolver aumentar as taxas.  Ou surge uma despesa inesperada que você não esperava, um imposto novo ou alguém lhe colocou na justiça e você vai precisar de um empréstimo para pagar o problema que aconteceu. E, se você tiver um banco só, naquele momento, ele pode fechar as portas e você não terá a quem recorrer quando se fala em dinheiro.

Então, vai ter que pedir emprestado de amigo, parente, que eu sei que você não quer isso de forma nenhuma. Nesse sentido, trabalhar com dois bancos reduz o risco de você ficar na mão de uma hora para a outra.

Isso já aconteceu comigo, em uma determinada situação eu precisei de um recurso, mas eu não tinha atualizado meu cadastro e o banco não tinha me avisado de nada e quando eu precisei do dinheiro eu não tinha. Por sorte eu tinha outro banco para lançar mão.

Portanto, é fundamental saber como reduzir o risco financeiro da empresa a fim de sempre garantir um bom fluxo de caixa! Quer saber sobre outras fragilidades que podem afetar e derrubar a sua empresa? Então CONFIRA NO MEU LIVRO as 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa tudo de forma detalhada.

Para estar sempre por dentro de dicas de como reduzir as fragilidades e o risco financeiro da sua empresa, INSCREVA-SE NO MEU CANAL DO YOUTUBE e faça parte da melhor audiência de empresários do Brasil.

Como identificar os problemas da sua empresa antes que seu cliente perceba?

, ,

É fundamental identificar onde estão localizadas, e corrigir, todas as fragilidades existentes no negócio antes que seu cliente, ou até mesmo parceiro, as identifique. Desta forma, você se previne de inúmeros prejuízos, já que, ao todo, uma pequena ou média empresa tem com certeza 11 fragilidades e riscos para trabalhar e evitar.

Mas, como identificar os problemas da empresa antes que seu cliente perceba? Muitas vezes o erro passa completamente despercebido aos olhos de quem está dentro do negócio. Entretanto,ao mesmo tempo, parece bastante nítido e claro a quem observa de fora.

Não conhecer as fragilidades e riscos da empresa é o primeiro passo para ter problemas reais!

Confira a seguir um vídeo rápido em que abordo o tema de modo mais aprofundado e veja a importância de descobrir porque as fragilidades ficam escondidas e você não as enxerga sozinho.

O que são fragilidades?

Antes de abordar alguns aspectos mais específicos ao tema, é válido lembrar o que são fragilidades dentro de um empreendimento. As fragilidades são os pequenos problemas comuns a todos os negócios que, quando não trabalhadas, podem trazer prejuízos irreparáveis e até mesmo levar a empresa a fechar suas portas.

Existem 11 fragilidades e riscos que sua empresa precisa ficar de olho para diminuir as chances de ter prejuízo ou perder espaço no mercado, são elas: a fragilidade financeira, da venda, da norma, do colaborador, do cliente, do gestor, da decisão, do evento externo, da tecnologia e inovação, da interrupção e, por fim, da imagem que será abordada a seguir.

A Fragilidade e risco da imagem

Qual o bem mais precioso e ao mesmo tempo imensurável dentro do seu negócio? Acredite, é a sua reputação, a sua imagem, uma das 11 fragilidades e riscos comuns a qualquer empresa!

Muitas vezes, as fragilidades ficam escondidas e você não enxerga sozinho até que elas já tenham manchado o nome do seu negócio. Uma vez manchado, dificilmente você poderá reaver a mesma imagem junto aos seus clientes e parceiros. Ficará sempre uma marca.

Por exemplo, a quebra de uma promessa ou de um acordo feito com o seu cliente no que se refere a um prazo é um problema que, na maioria das vezes, acaba passando despercebido entre você e seus colaboradores, afinal, “foi apenas um pequeno atraso de dois dias”.

No entanto, com os olhos de quem está de fora, esse pequeno atraso é, na verdade, uma ruptura na reputação da empresa que sempre disse ter como princípio honrar cada um dos seus compromissos, além de oferecer um excelente atendimento ao público.

Em resumo, existem cinco causas principais que podem levar um negócio a ter a sua imagem corrompida com o passar do tempo. São possíveis causas da ruptura da imagem da empresa a falta de ética, os danos causados ao meio ambiente, um mau relacionamento com os clientes e uma má gestão junto aos colaboradores.

Ao tomar cuidado, e se resguardar de cometer qualquer um dos desvios mencionados, a empresa passa a ter uma maior estabilidade que permite levar a reputação a crescer e, consequentemente, conquistar novos públicos, por exemplo.

Percebe o grande risco que você e toda a estrutura do seu negócio correm ao menosprezar os pequenos erros do dia a dia? As 11 fragilidades e riscos existem e podem trazer grandes prejuízos para aqueles que não se preparam para enxergá-las e corrigi-las a tempo.

Identifique as 11 fragilidades e riscos

Gerir uma pequena ou média empresa não é algo tão simples e disso com certeza você já sabe.

Para ter bons resultados, que vão muito além de ter um caixa estável, é necessário empenho. Afinal, as fragilidades ficam escondidas e você não enxerga sozinho muitos dos riscos a que está sujeito. Portanto, atenção!

Por mais que não seja algo tão simples, tente sair da posição e do pensamento exclusivo de gestor e procure olhar a empresa, e seus processos, como se estivesse de fora. Ter a ajuda profissional de um consultor é uma alternativa que cabe muito bem aqui.

Existem erros que você e seus colaboradores cometem diariamente e que não se dão conta. Todavia, uma vez que o seu cliente enxergar este erro, o risco estará criado e uma fragilidade poderá ganhar força.

Sendo assim, a dica é cuidar como dobro de atenção para que a reputação do seu negócio não sofra danos. Não dê motivos para que ocorra um boca a boca negativo envolvendo o nome do seu empreendimento. Muito pelo contrário, saiba prever cuidados extras para mais tarde não ter que correr atrás de um possível prejuízo criado em um momento disperso.

Aproveite para fazer parte da melhor audiência de empresários interessados em resolver suas fragilidades e riscos. Volte a ver sua empresa crescer de maneira sustentável.Inscreva-se agora mesmo no meu canal doYouTube  e não deixe de ter acesso ao conteúdo completo no livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa!

Porque o Problema da Sua Empresa Não é Falta De Dinheiro

, ,


Por que o problema da sua empresa não é falta de dinheiro?
O grande problema é a falta de dinheiro.
Quando questionados, empresários e empreendedores dizem que não podem investir em inovação e atualização tecnológica, porque não existem mais recursos financeiros disponíveis. Não podem contratar os melhores profissionais, porque o caixa da empresa não suportaria tal “custo”.
Mas, se a empresa tivesse dinheiro, tudo estaria resolvido? Você já teria os melhores resultados? Assista ao vídeo completo para entender realmente porque o problema da sua empresa não é a falta de dinheiro!
De fato, em alguns negócios, pode ser que parte do problema seja a falta de dinheiro, entretanto, na maioria das vezes não é. As fragilidades podem ser outras como, por exemplo, as dificuldades na hora de vender, a falta de inovação e até mesmo as dificuldades relacionadas à administração.
Será que se hoje as empresas recebessem uma boa quantia os problemas estariam resolvidos?
Muitas vezes o dinheiro leva toda a culpa, mas em nada os problemas estão relacionados com a fragilidade financeira! O risco de ficar desatualizado tecnologicamente e o risco de não saber administrar o negócio impactam tanto quanto a falta de dinheiro.
Por isso, o primeiro passo é se questionar: “Por que falta dinheiro na empresa?” O que você pode fazer para transformar essa realidade? Precisa investir em inovação? Fazer uma atualização tecnológica?
Você precisa entender a fragilidade do gestor e talvez reaprender quais são os melhores caminhos para administrar corretamente o seu negócio? Responda com sinceridade!
Agora que você já sabe que nem sempre a culpa é de fato da falta de dinheiro em caixa na empresa, aproveite para assinar meu canal do YouTube e confira outros vídeos que tratam sobre as fragilidades mais comuns dentro das pequenas e médias empresas.
Clique aqui para assinar: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.
Além disso, estar de olhos nas 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa é indispensável para crescer. Acesse o livro completo pelo link: http://livro.as11fragilidades.com.br/.

Sua empresa está sem dinheiro? Saiba como contornar a situação atacando a raiz do problema!

, ,

A falta de dinheiro no caixa da empresa com certeza é um empecilho para o crescimento e para a realização de inúmeros projetos. Entretanto, você sabia que nem sempre este é o problema raiz do seu negócio?

Apesar de muitos empresários usarem um eventual aperto financeiro como desculpa e justificativa da falta de investimento na empresa, a verdade é que a expansão de um negócio vai muito além de ter um caixa confortável ou não. Envolve administração,planejamento e inovação!

Em alguns casos, a falta de dinheiro no caixa da empresa nada mais é do que um problema superficial para as verdadeiras fragilidades que estão atrapalhando o negócio.

Veja no vídeo a seguir alguns clássicos, rápidos e também reais exemplos nos quais a “empresa sem dinheiro” nada mais era do que um negócio sem boa gestão e sem uma rotina de investimento em modernização:

Fragilidade da tecnologia e inovação

Como você viu, a falta de dinheiro no caixa da empresa nem sempre é o verdadeiro motivo por trás da falta de crescimento do negócio. Hoje em dia, a fragilidade da tecnologia e inovação tem assustado muitos empresários. Isso porque, sem investir nessa área, aumenta o risco de a empresa ficar desatualizada, o que pode gerar prejuízos irreversíveis para o negócio.

O problema não é da crise financeira! O problema é seu e da sua empresa! Apesar das crises impactarem deforma negativa a vida das pessoas e, por consequência, também os negócios, é válido lembrar que hoje em dia empresários de setores diversos têm utilizado o título de crise como desculpa para tudo, incluindo seus próprios fracassos!

Na verdade, o que muitas vezes falta é o preparo e a atenção para enxergar no futuro as melhores oportunidades, driblando assim a fragilidade da tecnologia e inovação antes que ela seja de fato um problema. Quer um exemplo disso? Simples! Faltam clientes para chamar táxis ou faltam táxis modernizados e acessíveis a partir de aplicativos no celular?

Essa discussão você com certeza viu recentemente. Com a chegada de aplicativos como o UBER, muitos taxistas se“revoltaram” devido à perda de uma parcela de seu mercado. No entanto, de quem era a real culpa? Em meio a uma população cada vez mais conectada e online, não era de se espantar que a inovação chegasse até mesmo para a forma de se pedir táxi, certo?

Afinal, chegou para a maneira de pedir comida, para a forma como as lojas vendem roupa hoje em dia e para muitos outros negócios a partir de seus processos e modernizações. Entretanto, como manter tecnologia e inovação de ponta em uma “empresa sem dinheiro”?

Fragilidade do gestor

A falta de dinheiro no caixa da empresa muitas vezes se deve à fragilidade do gestor. Ou seja, pode ser que o dinheiro esteja entrando, que as vendas estejam acontecendo. Ainda assim, se o saldo final não é bom, o que significa? Que a gestão dos recursos não está sendo eficiente!

Administrar tudo que entra e tudo que saí é uma das tarefas mais importantes da vida e da rotina do empresário, que também precisa ser um bom gestor! Uma vez que não se pode fazer quase nada sem dinheiro, é necessário olhar com atenção para a gestão da empresa, ou corre-se o risco de colocar tudo a perder.

É necessário PLANEJAMENTO! Essa é uma das ferramentas mais decisivas para o sucesso, seja na vida pessoal ou, especialmente, na vida profissional. Sem planejar você não consegue administrar tudo o que precisa e com isso pode vir a gastar mais e sem eficiência, por exemplo.

Nas pequenas e médias empresas a fragilidade do gestor é ainda mais evidente, uma vez que que este acumula muitas responsabilidades de forma concomitante. Muitas vezes, é o gestor quem administra toda a parte financeira, quem contrata e demite, quem fala diretamente com os clientes e quem resolve todos os “pepinos” que aparecem pelo caminho.

Ao somar todas as tarefas, pode ser que uma ou outra passe despercebida. Neste caso, quando as finanças não recebem atenção suficiente, o resultado é ver a empresa sem dinheiro.

O que fazer para driblar tais fragilidades e riscos?

Podendo estar intimamente ligadas, as fragilidades da tecnologia e inovação, bem como a do gestor, são impactantes e influenciam nos resultados do seu negócio. Portanto,ambas merecem bastante atenção.

A dica aqui, inclusive, é trabalhar cada uma dessas fragilidades de modo isolado para mais tarde, em conjunto com as demais apontadas no livro As 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa, ter um melhor funcionamento do seu negócio.

A falta de dinheiro no fluxo de caixa da empresa não pode ser desculpa para deixar o negócio dentro de uma zona de conforto sem qualquer crescimento ou investimento em tecnologia e inovação. Aproveite para conhecer essas fragilidades em maiores detalhes, além de outras importantes fragilidades abordadas no livro e faça a diferença dentro do seu empreendimento para ver excelentes resultados!

Faça parte da melhor audiência do Brasil de empresários interessados em resolver suas fragilidades e riscos, para que a empresa volte a crescer de maneira sustentável. Inscreva-se agora no meu canal do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.

Para Entrar num Mercado Competitivo, Corrija 4 Fragilidades e Riscos da Empresa

, , ,

Como entrar num mercado muito competitivo?

Para quem é empresário, responder esta pergunta é crucial para fazer o negocio avançar.

E tem outra questão. Muitas vezes o mercado não era competitivo quando você chegou, mas depois ficou disputado.

Quanto mais concorrido for um mercado, maiores os riscos para sua empresa sobreviver lá. A gestão dos riscos torna-se então elemento decisivo para você ter sucesso.

Para enfrentar situações dessa natureza, não tem outra saída: você precisa identificar os riscos envolvidos no negócio, além de corrigir todas as fragilidades da empresa.

São 11 Fragilidades e Riscos que devem ser resolvidos. Porém, 4 Fragilidades em especial devem ser observadas em primeiro lugar. Isso ocorre com as empresas em geral, especialmente as pequenas e médias.

Para entrar num mercado muito concorrido, deve-se corrigir inicialmente 4 fragilidades e riscos da empresa. Mas  todas as 11 fragilidades precisam ser resolvidas logo em seguida.

As 4 fragilidades iniciais são as seguintes: Fragilidade do Cliente, Fragilidade do Colaborador, Fragilidade da Venda e Fragilidade Financeira. Se você vacilar em qualquer uma delas, provavelmente será engolido por qualquer mercado altamente disputado.

Na verdade, as 4 fragilidades mencionadas acima devem ser resolvidas mesmo que o mercado não seja tão disputado. No caso dele ser concorrido, se qualquer uma das 4 fragilidades lhe atingir, você terá poucas chances de êxito.

Uma empresa com fragilidades aumenta os riscos de não sobreviver, porque será superada por concorrentes mais fortes.

Neste vídeo, Othederaldo fala sobre essas 4 Fragilidades e explica porque resolver todas elas é fundamental para a sua empresa. Assista o vídeo para aprender como “Para Entrar num Mercado Concorrido, Corrija 4 Fragilidades e Riscos da Empresa”

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

4 Fragilidades Que Quebraram Empresa em São Paulo

, , , ,

 

Praticamente 100% das empresas, especialmente as pequenas e médias, possuem 11 Fragilidades e Riscos que podem fazê-la quebrar.

Para evitar que um problema mais grave aconteça, a empresa precisa identificar onde estão localizadas suas fragilidades e corrigir todas elas. Não pode deixar nenhuma de fora.

Neste vídeo, Othederaldo conta uma história real, sobre uma empresa localizada em São Paulo, que fechou as portas porque foi incapaz de lidar com 4 fragilidades perigosas. Ela não conseguiu controlar os riscos envolvidos no negócio.

Trata-se de uma lanchonete, famosa no passado, que perdeu sua posição para a concorrência, tentou se reerguer, lutou como pôde, mas foi ultrapassada.

No final das contas, a empresa foi atingida pela A Fragilidade Financeira, porém o problema foi iniciado por causa de 3 outras fragilidades e riscos.

“Por Que 4 Fragilidades Quebraram Empresa em São Paulo?” A resposta você vai descobrir após assistir este vídeo.

Certamente as lições aprendidas aqui servirão para você não deixar que uma situação semelhante ocorra com sua própria empresa.

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

Evite Riscos – Descubra as Fragilidades da Sua Empresa Antes do Cliente

, , ,

 

É perigoso deixar que o outras pessoas descubram as fragilidades da sua empresa antes de você.

Imagine que um cliente perceba que sua empresa passa por dificuldades financeiras, mas você nem sequer notou que tem esta fragilidade.

Parece difícil de acontecer, porém é mais comum do que você imagina. E você corre o risco de que seus parceiros, fornecedores e até seus colaboradores notem as fragilidades da sua empresa.

É fundamental que você identifique e corrija as fragilidades e riscos da empresa antes que qualquer pessoa perceba que você foi atingido por elas.

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

Descubra As 2 Fragilidades Urgentes dos Empresários

, ,
Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

O RISCO DE INICIAR UMA EMPRESA SEM DINHEIRO

,

 

Você tem dinheiro suficiente para iniciar um novo negócio? Qual o risco de você começar uma empresa sem qualquer reserva financeira?

Essas são perguntas que todo empresário deveria se fazer, ao invés agir apenas pelo impulso de empreender, muitas vezes deixando de avaliar os riscos envolvidos.

Eu conheço empresários que se deram mal, porque faltou dinheiro no meio do caminho para tocar um negócio que parecia sensacional. Sem recursos para prosseguir, eles tiveram de abandonar o barco, que afundou.

Mas eu também conheço empresários que começaram uma empresa do nada, e se deram bem.

Qual é o certo então? É melhor aguardar para ter o dinheiro que você precisa, ou você parte para briga com a cara e a coragem? É o que você vai descobrir depois de ler este artigo.

Em grande parte dos casos, o que vale mais é o projeto e a ideia que você tem para a empresa, além da sua disposição e força de vontade pessoal. Mas o dinheiro é igualmente importante.

É porque quando você abre um novo negócio, as chances de dar tudo errado são altas. Normalmente você subestima os investimentos necessários para erguer a empresa, seja pela pouca experiência sua como empresário, ou porque muita coisa deu errado mesmo.

Por exemplo, as pessoas não compraram o seu serviço no início, ou o produto levou mais tempo para ficar pronto do que você calculou, você teve de investir mais do que o planejado, e por aí vai.

Tudo na vida parece funcionar assim, dificilmente as coisas dão certo da primeira vez. E, quando se trata de uma empresa, que é um organismo bem complexo, isso é ainda mais verdade.

E não tem nada de mal nisso, pois errar faz parte do seu aprendizado como empresário. Você só vai aprender fazendo, tentando acertar, errando, consertando, e seguindo em frente.

Eu não estou dizendo que você deve fazer tudo no improviso, sem planejamento. Você deve, sim, planejar antes de abrir uma empresa. Porém, dificilmente as coisas vão sair conforme você imaginou.

A questão não é essa. O problema é saber o que você vai fazer quando o dinheiro acabar. Quando você não tiver mais caixa, como vai enfrentar os momentos de dificuldade?

Quem vai pagar as contas da empresa enquanto as receitas não chegam, ou não forem suficientes para bancar as despesas operacionais?

E suas despesas pessoais, da casa, da sua família, quem vai pagar, enquanto você não consegue retirar dinheiro da empresa – e talvez até tenha que botar dinheiro na empresa?

Se faltar dinheiro, sua empresa estará frágil, porque a Fragilidade Financeira vai lhe atingir em cheio, e lutar contra essa fragilidade é bem difícil. Você pode acabar fechando a empresa porque não tem mais recursos para continuar.

Nunca esqueça da lição: não adianta atuar apenas naquilo que você tem de bom, certo? Sua força pode ser sua persistência e determinação.

Mas se você não corrigir as fragilidades da empresa – no caso, a Financeira – elas vão eliminar por completo suas forças, e talvez você não consiga mais seguir em frente.

Minha orientação é que você inicie o negócio com alguma reserva de capital. Quanto? Vai depender do tamanho da empresa que você pretende criar e dos investimentos que serão necessários.

Não quero lhe desanimar, mas começar com nada, ou com muito pouco, é arriscado. Pode dar certo, mas e se não der?

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.