Como avaliar os riscos da empresa – a probabilidade e o impacto do risco

,

Fazer o gerenciamento de riscos na empresa é uma de suas maiores preocupações? Mas será que você sabe realmente como avaliar esses riscos? Aliás, não só os riscos da empresa, mas também os seus como empresário!

Se ainda tem dúvidas sobre o assunto, saiba que essa informação é fundamental para o crescimento do seu negócio. Sendo assim, confira neste vídeo como saber avaliar o risco da empresa e, além disso, qual a importância de entender sobre o impacto do risco:

COMO AVALIAR OS RISCOS DA EMPRESA.

Probabilidade do risco

E agora, já sabe como é que você avalia os riscos da sua empresa? Será que você costuma olhar apenas para a probabilidade do risco a acaba deixando outras variáveis de lado? É claro que entender a probabilidade do risco é importante, mesmo que ela seja muito baixa.

Afinal, essa questão já pode te ajudar e muito, como empresário, a ficar atento àquilo que tem chances, mesmo que mínimas, de trazer algo negativo para o seu negócio.

Entretanto, você não deve olhar e analisar apenas a probabilidade do risco. Existe também outro item muito importante que todos os empresários devem analisar. Sabe qual? O impacto do risco!

Impacto do risco

Mas afinal, o que é o impacto do risco? Por que ele é tão importante assim? Em primeiro lugar, o impacto do risco é toda consequência que um determinado risco tem, mesmo com uma probabilidade baixa, de deixar impactos negativos no seu negócio.

Quer exemplos de que impactos são esses? Pode ser um dano financeiro, um impacto negativo na imagem da sua empresa, entre muitas outras coisas. Dessa forma, se o impacto do risco for alto, você precisa levá-lo em consideração, mesmo que a probabilidade desse risco realmente acontecer seja baixíssima.

Como saber o risco da empresa

O grande problema é que nós, como empresários, fazemos exatamente o contrário. Ou seja, quando a probabilidade do risco é baixa de acontecer, normalmente deixamos para depois, não priorizamos esse risco. Você pode estar se perguntando como eu sei que isso acontece, acertei?

É simples! Como dou mentoria para vários empresários, uma das coisas mais comuns que vejo quando eu sento com eles para identificar os riscos da empresa é que eles querem deixar determinado risco de lado, se o mesmo possui uma probabilidade baixa de acontecer. Em outras palavras, querem adiar a conversa relacionada a um risco que é mais difícil de acontecer.

Entretanto, você sabe qual o problema de fazer isso? Imagina o quão perigoso pode ser para a sua empresa se um risco de alto impacto acontecer? Se você não estiver preparado, ele pode causar sérios problemas para o seu negócio.

Entenda isso melhor por meio de dois exemplos:

1. Cliente muito bom

Imagine que você tem um cliente muito bom, que ele representa mais de 50% da sua receita, do seu faturamento total. Dessa forma, eu lhe pergunto: qual é a probabilidade desse seu cliente ir embora, desistir da sua empresa, cancelar o contrato com você?

Você até pode responder: essa probabilidade é muito baixa, porque esse cliente já está comigo há muitos anos, ele está muito satisfeito com o serviço, eu visito ele periodicamente, além do mais, ele usa um serviço da minha empresa que é essencial para o negócio dele.  Eu também cobro um preço que compete muito bem com o da concorrência, quer dizer, não tem motivo nenhum para ele ir embora.

Bom, isso pode até ser verdade, mas e se ele for embora da sua empresa? E se ele cancelar o contrato? Qual é o impacto que isso trará para você? Com certeza esse impacto será muito grande, uma vez que ele representa mais da metade do faturamento. Ou seja, praticamente a empresa gira em torno desse cliente.

E o cliente pode sair mesmo que ele esteja muito satisfeito com a sua empresa. De repente ele próprio entrou em uma crise financeira e não consegue mais manter o contrato com você.

2. Você fazendo tudo na empresa

O segundo exemplo fala diretamente de você, como empresário. Imagine o seguinte: em uma pequena ou média empresa, normalmente, nós empresários, fazemos quase tudo. Nós vendemos, atendemos o cliente, produzimos o serviço, cuidamos do financeiro, do administrativo, selecionamos os funcionários, fazemos de tudo.

E a pergunta é: se você por algum motivo se ausentar da sua empresa, tiver um problema pessoal, um problema de saúde, o que vai acontecer? Quais prejuízos você vai ter? Talvez você até pare de faturar, pare de gerar receita, porque se você é responsável pela maior parte das atividades da sua empresa e se ausenta, como é que ela vai sobreviver sem você?

Você pode dizer: mas eu sou muito novo, tenho 40 e poucos anos, cuido da minha saúde, durmo bem, como bem, faço exercícios físicos, isso não vai acontecer comigo. Porém, mesmo que a probabilidade seja baixa, se acontecer, o dano para a sua empresa pode ser muito grande.

Percebeu nesses dois exemplos como fica mais claro de entender que, mesmo que a probabilidade do risco seja baixa de acontecer, o dano para a sua empresa pode ser muito grande, podendo até mesmo inviabilizar o seu negócio? É por isso que você realmente precisa avaliar tanto a probabilidade quanto o impacto dos ricos da empresa!

Sendo assim, para saber como fazer a empresa crescer é fundamental que você tenha em mente a importância de fazer a gestão de riscos da melhor maneira. Além disso, é preciso também evitar as 11 fragilidades que derrubam sua empresa. Mas, quais são elas e como entender de que forma evitá-las? Basta acessar meu livro pelo link http://livro.as11fragilidades.com.br/ e ver tudo isso de forma detalhada.

Se você gostou dessas dicas sobre como saber avaliar o risco da empresa e quer saber mais sobre assuntos capazes de ajudar o seu negócio a crescer de forma saudável, então se inscreva em meu canal no YouTube e faça parte da melhor audiência de empresários do Brasil. Basta acessar este link: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.

Como Atender a Demanda do Mercado

Você sabe como gerenciar a empresa? Como deve equilibrar, por exemplo, a oferta e demanda? Será que sua empresa precisa atender todas as demandas do mercado ou não?

Confira neste vídeo “Como atender a demanda do mercado- O segredo da gestão” 📝 ⚖ 🗃

Mesmo que as perguntas possam parecer óbvias para você, saiba que a resposta pode enganar. Como empresário, sei que a primeira resposta que vem à cabeça é sim, a empresa precisa atender toda a demanda do mercado. Afinal, é a forma como ela ganhará dinheiro. Acertei o que você está pensando?

Entretanto, é exatamente o contrário que acontece. Sua empresa precisa ter uma capacidade de atendimento menor do que a demanda do mercado. Isso por causa de três razões diferentes, as quais explico melhor ao longo do vídeo (02:40).

Na maioria das vezes, saber como gerenciar a empresa pode não ser algo tão simples.

Mas, então, como fazer a gestão de empresas? Como fazer a empresa crescer da melhor maneira? É simples! Basta saber como atender a demanda do mercado e o segredo da gestão. Ou seja, tudo o que eu lhe falo ao longo do vídeo. Você, como empresário, realmente precisa saber a melhor forma de equilibrar a oferta e demanda.

Também escrevi um livro que fala sobre as 11 fragilidades que derrubam sua empresa, hoje falamos apenas de uma delas, a fragilidade do gestor, mas existem outras 10 muito perigosas.

Se você tiver interesse em se aprofundar no assunto, recomendo que adquira o meu livro por meio do link: http://livro.as11fragilidades.com.br/.

Para estar sempre por dentro de dicas que vão lhe ajudar a corrigir as fragilidades da sua empresa e, consequentemente, aumentar as vendas, é só se inscrever em meu canal do YouTube.

Basta clicar no link a seguir e acompanhar todos os vídeos para que sua empresa volte a crescer de verdade e sem parar: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.

othederaldojr #11fragilidades #gestãoderiscos #vendas #fazeraempresacrescer #gestãodeempresas #ofertaxdemanda

Como atender a demanda do mercado – O segredo da gestão

,

Qual a melhor forma de fazer a gestão de empresas? A organização deve ser capaz de atender a demanda do mercado ou não? Mesmo que você, como empresário, possa pensar que sim, é válido ressaltar que a resposta é exatamente o contrário.

Ficou confuso? Então veja este vídeo no qual explico melhor porque sua empresa, tendo uma capacidade de atendimento menor do que a demanda do mercado, é capaz de ganhar dinheiro e aumentar a lucratividade:

Vídeo COMO ATENDER A DEMANDA DO MERCADO – O SEGREDO DA GESTÃO.

A fragilidade do gestor

Dessa forma, assim como falo no vídeo, o segredo da gestão é não tentar atender completamente todas as demandas do mercado. Apesar de ser óbvio pensar que para ganhar dinheiro é necessário atender todos os clientes que estão querendo comprar seus produtos ou serviços, você precisa entender que não é viável para sua empresa atender todas as demandas.

Mas como assim? Atender todas as demandas não quer dizer que a empresa está fazendo mais vendas e sendo mais produtiva? Nem sempre! Quer um exemplo para conseguir entender melhor essa questão? Então pense o que é melhor: quando um restaurante tem uma fila de pessoas na porta ou quando está vazio e os funcionários estão sem fazer nada? 

Acredito que a primeira opção, certo? É claro que aqui não quero dizer que você tem algum tipo de deficiência em sua empresa por ter uma fila em sua porta. Não estou falando aqui, por exemplo, das filas das companhias aéreas ou dos serviços públicos, que apesar de terem melhorado nos últimos tempos, ainda são muito ruins.

Não estou dizendo que a sua empresa tem que ter baixa produtividade. As pessoas estão lá na fila do restaurante não é porque o serviço é lento e a equipe demora para fazer as coisas. Não. É porque o serviço é tão bom, ou seja, a comida é tão boa, que as pessoas estão dispostas a fazer uma fila na frente para esperar. Então, é exatamente o contrário.

Sendo assim, saber como gerenciar a empresa é fundamental para evitar a fragilidade do gestor. Entretanto, qual a melhor forma de fazer isso? Continue lendo e saiba mais.

Como gerenciar a empresa

Muitas vezes, saber como fazer a empresa crescer pode não ser uma tarefa fácil. Você, como empresário, com certeza sabe disso, não é mesmo?

Tenho certeza que você ainda está se perguntando: mas, por que é melhor não atender todas as demandas do mercado? Por que não atender todas as pessoas da fila do restaurante pode ser algo positivo? Tudo isso está relacionado ao fato de saber equilibrar da forma certa a oferta e demanda.

É nesse momento em que entra uma habilidade grande que é a habilidade de gestão da empresa, ou seja, de equilibrar muito bem esses pedidos que vêm do mercado e a capacidade de atendimento da sua empresa.

É como um elástico, tem que ter uma tensão entre ambas as pontas que precisa ser uma tensão boa para o seu negócio, não uma tensão muito grande. Essa habilidade que você tem que ter de equilibrar demanda e a sua capacidade de entrega é que vai fazer você ganhar mais ou menos dinheiro e vai fazer a sua empresa avançar cada vez mais.

Dessa forma, há três razões que explicam o motivo pelo qual é melhor para a sua empresa ter uma capacidade menor do que a demanda que vem do mercado. Veja abaixo cada uma delas detalhadamente.

Escolher seus clientes

A primeira razão é que você consegue escolher seus clientes. Ou seja, se você tem um excesso de clientes batendo em sua porta, é possível se dar o luxo de escolher aqueles que são melhores para você e que vão lhe dar mais lucro.

Pressão externa

A segunda razão é que quando uma demanda vem de um mercado muito grande, você sofre uma pressão externa que lhe faz andar para frente. Quando você tem muitos clientes assim, acaba aumentando a produtividade e a eficiência operacional da empresa, tudo isso para que consiga responder ao máximo essa demanda.

Evitar excessos

E, por fim, a terceira razão é para você evitar ter excessos, porque a pior coisa é você ver pessoas de braços cruzados. Vamos voltar ao exemplo do restaurante. Quando você entra em um local e vê os funcionários parados, olhando um para o outro, conversando, qual é o sentimento que você tem? É um sentimento de preocupação.

Então, é melhor você ter seus colaboradores trabalhando e ocupados o tempo todo, porque a demanda que vem do mercado é maior do que aquela que você consegue atender.

Quer melhorar sempre a sua gestão de empresas? Então não deixe de saber que existem 11 fragilidades que derrubam sua empresa. Ter em mente quais são cada uma delas é fundamental para gerenciar o seu negócio da melhor forma. Mas, como saber mais sobre elas? É simples! ACESSE MEU LIVRO.

Para receber mais dicas de como fazer a empresa crescer e qual a melhor forma de equilibrar a oferta e demanda, INSCREVA-SE AGORA NO MEU CANAL DO YOUTUBE e comece a fazer parte da melhor audiência de empresários do Brasil. h

Porque uma Mentoria Ajuda a Empresa a Crescer Rápido – 3 Razões

, , ,

Alguma vez você já contou com uma mentoria em sua empresa? Se sim, com certeza sabe porque uma mentoria ajuda a empresa a crescer, certo? Mas, caso contrário, o que você está esperando? A ajuda de um mentor em algum momento pode ser essencial para o seu negócio em diversos pontos.   

É claro que primeiro você precisa realmente entender qual a importância da mentoria e como ela, por exemplo, pode ajudar sua empresa a vender mais e, consequentemente, atingir bons resultados. No vídeo abaixo você pode conferir esse assunto mais detalhadamente.

https://youtu.be/3_Dz3xNv_zM

Como fazer a empresa crescer

A mentoria bem feita, assim como mencionei diversas vezes no vídeo, pode ajudar e muito sua empresa a crescer de forma sustentável. No entanto, você pode estar se perguntando como tenho tanta certeza disso, certo? É simples: eu tanto dou mentoria para empresários como também recebo mentorias importantes para o meu negócio.

Ou seja, falo que essa é uma estratégia importante por experiência própria. E, de fato, uma mentoria ajuda bastante a empresa a crescer. Mas, em que sentido? Será que no seu caso ela vai realmente ajudar? Será que está na hora de fazer isso na sua empresa? Essas são dúvidas que muitos empresários têm na hora de saber se contratam ou não uma mentoria.

Mas, pode ficar tranquilo! Isso já aconteceu comigo também e é normal. E é exatamente por isso que estou aqui para ajudá-lo a entender melhor essa questão. O primeiro passo a ser dado é entender porque uma mentoria é importante!

Porque uma mentoria é importante

Em primeiro lugar, você sabe o que faz uma mentoria? Um mentor é responsável por rever as estratégias utilizadas em sua empresa e, com isso, ajudá-lo a enxergar algumas questões que talvez você não estava conseguindo ver sozinho. Dessa forma, ele o orienta a tomar as melhores decisões e é assim que começa o processo de crescimento da empresa.

É por isso que eu não tenho dúvidas de que você pode avançar bastante com seu negócio por meio da ajuda de um mentor. Você pode, por exemplo, aumentar as vendas graças a algum detalhe visto pela pessoa que está te ajudando.

Uma empresa pode crescer e muito por causa da mentoria e há três explicações para isso: primeiro porque você vai contar com uma pessoa mais experiente, a segunda é que você vai começar a enxergar os problemas da empresa e, por último, você vai passar a acreditar mais em você mesmo depois da mentoria.

A seguir você verá cada uma dessas razões de forma detalhada!

Contar com uma pessoa mais experiente

A primeira delas é que você conta, na mentoria, com uma pessoa mais experiente. Lembre-se de que essa experiência não é em tudo que envolve sua empresa. Afinal, você mesmo já é um empresário bastante experiente, certo?

Essa pessoa terá mais experiência naquele assunto específico para o qual você está selecionando-a. Por exemplo, você percebe que vender está sendo um dos maiores problemas da sua empresa e decide contar com a ajuda de um mentor para resolver essa questão.

Começar a enxergar os problemas da empresa

O segundo motivo, também muito importante, é que o mentor de uma forma ou de outra vai lhe fazer enxergar problemas e fragilidades que sua empresa tem, os quais você não conseguia ver antes. E não pense que era um erro seu, isso é normal.  Eu também não teria conseguido enxergar se não tivesse a ajuda desses mentores.

E por que você não consegue enxergar? Primeiro, porque você já está muito acostumado a fazer determinadas atividades. Você faz aquilo todo dia e faz de uma forma tão automática que não consegue mais perceber que pode estar fazendo da forma errada.

O segundo motivo é que nós, como seres humanos, temos uma dificuldade muito grande de falar das nossas fragilidades e das nossas fraquezas. Às vezes, a fragilidade está na nossa frente e não conseguimos enxergá-la.

E o mentor terá essa capacidade, visto que ele verá tudo de fora, trazendo a experiência dele. Ele vai lhe dizer onde é que tem pontos na sua empresa que você precisa resolver para que ela volte a crescer.

Acreditar mais em você mesmo

Por fim, a terceira razão para você ter um mentor é que ele vai lhe ajudar não apenas nas questões técnicas, mas também nas suas crenças, ajudar no seu mindset, ou seja, naquilo que você precisa mudar na sua cabeça para que acredite que você é capaz de realizar determinadas atividades.

Muitas vezes nós, como empresários, falhamos não porque não sabemos fazer as coisas do ponto de vista técnico, mas porque acreditamos que não somos capazes. E o mentor precisa ter a habilidade para trabalhar no seu mindset, a fim de desenvolver crenças positivas para que você consiga realmente avançar.

Agora que você já sabe porque uma mentoria ajuda a empresa a crescer, não se esqueça de que existem também 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa e que, portanto, você deve saber como evitá-las. Para isso, ACESSE MEU LIVRO INÉDITO.

Como já falei anteriormente, eu dou mentoria para empresários e também recebo de algumas pessoas para ajudar o meu negócio a crescer com solidez. Sendo assim, para ter acesso a vídeos sobre esse e outros temas, INSCREVA-SE NO MEU CANAL DO YOUTUBE.

Porque o Problema da Sua Empresa Não é Falta De Dinheiro

, ,


Por que o problema da sua empresa não é falta de dinheiro?
O grande problema é a falta de dinheiro.
Quando questionados, empresários e empreendedores dizem que não podem investir em inovação e atualização tecnológica, porque não existem mais recursos financeiros disponíveis. Não podem contratar os melhores profissionais, porque o caixa da empresa não suportaria tal “custo”.
Mas, se a empresa tivesse dinheiro, tudo estaria resolvido? Você já teria os melhores resultados? Assista ao vídeo completo para entender realmente porque o problema da sua empresa não é a falta de dinheiro!
De fato, em alguns negócios, pode ser que parte do problema seja a falta de dinheiro, entretanto, na maioria das vezes não é. As fragilidades podem ser outras como, por exemplo, as dificuldades na hora de vender, a falta de inovação e até mesmo as dificuldades relacionadas à administração.
Será que se hoje as empresas recebessem uma boa quantia os problemas estariam resolvidos?
Muitas vezes o dinheiro leva toda a culpa, mas em nada os problemas estão relacionados com a fragilidade financeira! O risco de ficar desatualizado tecnologicamente e o risco de não saber administrar o negócio impactam tanto quanto a falta de dinheiro.
Por isso, o primeiro passo é se questionar: “Por que falta dinheiro na empresa?” O que você pode fazer para transformar essa realidade? Precisa investir em inovação? Fazer uma atualização tecnológica?
Você precisa entender a fragilidade do gestor e talvez reaprender quais são os melhores caminhos para administrar corretamente o seu negócio? Responda com sinceridade!
Agora que você já sabe que nem sempre a culpa é de fato da falta de dinheiro em caixa na empresa, aproveite para assinar meu canal do YouTube e confira outros vídeos que tratam sobre as fragilidades mais comuns dentro das pequenas e médias empresas.
Clique aqui para assinar: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.
Além disso, estar de olhos nas 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa é indispensável para crescer. Acesse o livro completo pelo link: http://livro.as11fragilidades.com.br/.

Sua empresa está sem dinheiro? Saiba como contornar a situação atacando a raiz do problema!

, ,

A falta de dinheiro no caixa da empresa com certeza é um empecilho para o crescimento e para a realização de inúmeros projetos. Entretanto, você sabia que nem sempre este é o problema raiz do seu negócio?

Apesar de muitos empresários usarem um eventual aperto financeiro como desculpa e justificativa da falta de investimento na empresa, a verdade é que a expansão de um negócio vai muito além de ter um caixa confortável ou não. Envolve administração,planejamento e inovação!

Em alguns casos, a falta de dinheiro no caixa da empresa nada mais é do que um problema superficial para as verdadeiras fragilidades que estão atrapalhando o negócio.

Veja no vídeo a seguir alguns clássicos, rápidos e também reais exemplos nos quais a “empresa sem dinheiro” nada mais era do que um negócio sem boa gestão e sem uma rotina de investimento em modernização:

Fragilidade da tecnologia e inovação

Como você viu, a falta de dinheiro no caixa da empresa nem sempre é o verdadeiro motivo por trás da falta de crescimento do negócio. Hoje em dia, a fragilidade da tecnologia e inovação tem assustado muitos empresários. Isso porque, sem investir nessa área, aumenta o risco de a empresa ficar desatualizada, o que pode gerar prejuízos irreversíveis para o negócio.

O problema não é da crise financeira! O problema é seu e da sua empresa! Apesar das crises impactarem deforma negativa a vida das pessoas e, por consequência, também os negócios, é válido lembrar que hoje em dia empresários de setores diversos têm utilizado o título de crise como desculpa para tudo, incluindo seus próprios fracassos!

Na verdade, o que muitas vezes falta é o preparo e a atenção para enxergar no futuro as melhores oportunidades, driblando assim a fragilidade da tecnologia e inovação antes que ela seja de fato um problema. Quer um exemplo disso? Simples! Faltam clientes para chamar táxis ou faltam táxis modernizados e acessíveis a partir de aplicativos no celular?

Essa discussão você com certeza viu recentemente. Com a chegada de aplicativos como o UBER, muitos taxistas se“revoltaram” devido à perda de uma parcela de seu mercado. No entanto, de quem era a real culpa? Em meio a uma população cada vez mais conectada e online, não era de se espantar que a inovação chegasse até mesmo para a forma de se pedir táxi, certo?

Afinal, chegou para a maneira de pedir comida, para a forma como as lojas vendem roupa hoje em dia e para muitos outros negócios a partir de seus processos e modernizações. Entretanto, como manter tecnologia e inovação de ponta em uma “empresa sem dinheiro”?

Fragilidade do gestor

A falta de dinheiro no caixa da empresa muitas vezes se deve à fragilidade do gestor. Ou seja, pode ser que o dinheiro esteja entrando, que as vendas estejam acontecendo. Ainda assim, se o saldo final não é bom, o que significa? Que a gestão dos recursos não está sendo eficiente!

Administrar tudo que entra e tudo que saí é uma das tarefas mais importantes da vida e da rotina do empresário, que também precisa ser um bom gestor! Uma vez que não se pode fazer quase nada sem dinheiro, é necessário olhar com atenção para a gestão da empresa, ou corre-se o risco de colocar tudo a perder.

É necessário PLANEJAMENTO! Essa é uma das ferramentas mais decisivas para o sucesso, seja na vida pessoal ou, especialmente, na vida profissional. Sem planejar você não consegue administrar tudo o que precisa e com isso pode vir a gastar mais e sem eficiência, por exemplo.

Nas pequenas e médias empresas a fragilidade do gestor é ainda mais evidente, uma vez que que este acumula muitas responsabilidades de forma concomitante. Muitas vezes, é o gestor quem administra toda a parte financeira, quem contrata e demite, quem fala diretamente com os clientes e quem resolve todos os “pepinos” que aparecem pelo caminho.

Ao somar todas as tarefas, pode ser que uma ou outra passe despercebida. Neste caso, quando as finanças não recebem atenção suficiente, o resultado é ver a empresa sem dinheiro.

O que fazer para driblar tais fragilidades e riscos?

Podendo estar intimamente ligadas, as fragilidades da tecnologia e inovação, bem como a do gestor, são impactantes e influenciam nos resultados do seu negócio. Portanto,ambas merecem bastante atenção.

A dica aqui, inclusive, é trabalhar cada uma dessas fragilidades de modo isolado para mais tarde, em conjunto com as demais apontadas no livro As 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa, ter um melhor funcionamento do seu negócio.

A falta de dinheiro no fluxo de caixa da empresa não pode ser desculpa para deixar o negócio dentro de uma zona de conforto sem qualquer crescimento ou investimento em tecnologia e inovação. Aproveite para conhecer essas fragilidades em maiores detalhes, além de outras importantes fragilidades abordadas no livro e faça a diferença dentro do seu empreendimento para ver excelentes resultados!

Faça parte da melhor audiência do Brasil de empresários interessados em resolver suas fragilidades e riscos, para que a empresa volte a crescer de maneira sustentável. Inscreva-se agora no meu canal do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.

2 LIÇÕES DE LIDERANÇA E GESTÃO QUE APRENDI COM BILL GATES E STEVE JOBS

Existe um modo elementar para você se desenvolver como gestor. Você sabe qual é?

Copiar as práticas de grandes líderes da nossa história, e procurar agir como eles. Simples assim!

Eu faço isso com frequência. Estou sempre lendo livros e notícias, estudando citações, assistindo vídeos de gestores e líderes de sucesso, para aprender com eles.

Porém, é fundamental que você se identifique com eles. Não adianta eles serem apenas líderes de renome, você também precisa se conectar com essas pessoas, admirar eles.

Eu tenho afeição especial por Bill Gates e Steve Jobs. Gates saiu da direção da Microsoft já tem alguns anos e se dedica à filantropia, e Jobs, como vocês sabem, não está mais entre nós.

Ambos revelam 2 segredos para o sucesso deles como empreendedores e líderes. E neste artigo você saber quais são essas lições e como isso vai lhe ajudar a ser tornar um gestor melhor.

Este é mais um conteúdo sobre a Fragilidade do Gestor, que precisa ser controlada de perto. Porque se você for um bom gestor terá mais facilidade para lidar com as demais fragilidades da sua empresa.

E a primeira lição deles é a de ser visionário,  e visionário de forma incondicional, sem limites. Isso significa que os líderes precisam sonhar longe, acreditar que vão alcançar um estágio para a empresa que a maioria das pessoas nunca imaginou.

Eles vão encontrar muita resistência, porque quem é visionário e sonha alto vai se deparar com adversários que vão tentar diminuir as ideias deles, dizendo que não vão funcionar, que não fazem sentido.

Mas os líderes, quando realmente visionários, vão se manter firmes na sua visão, como uma rocha. Também mostrarão outra habilidade, que é comunicar a visão deles internamente na empresa, para que os colaboradores  comprem a briga e trabalhem na construção desse futuro. Esta capacidade de comunicação é fundamental.

Vocês conhecem alguém mais visionário do que Steve Jobs, que botou na cabeça que a Apple iria desenvolver o Iphone e o Macintosh, numa tecnologia fechada? Era uma ideia maluca na época, mas ele conseguiu, e até hoje ninguém se equiparou a Apple.

E a segunda lição, é a de que o bom líder e gestor precisa decidir mais a longo prazo do que a curto prazo. Como é que ele vai alcançar a grande visão de futuro decidindo a curto prazo? Não faria sentido.

Sim, você também precisa tomar decisões de curto prazo todo o tempo, porque a empresa está operando, não está parada. Mas nenhuma empresa se sustenta assim. Se você decide a maior parte do tempo para apagar incêndios e resolver assuntos urgentes, acenda a luz vermelha, porque tem algo errado na empresa.

Esta é uma regra básica de administração: as decisões devem ser na sua maioria a médio e longo prazos, que são aquelas que vão surtir efeito num horizonte de um ano, cinco anos, 10 anos, 50 anos, e daí em diante.

Veja o caso de Bill Gates, que saiu da direção da Microsoft e hoje se dedica à filantropia. Sem desmerecer as boas intenções de Gates, mas as vendas da Microsoft devem crescer, na medida em que são doados recursos aos países mais pobres, para investimento em educação, segurança e saúde, por exemplo

Se os países progredirem, as pessoas melhoram a condição de vida e, assim, de consumem novas tecnologias.

Mas quando uma ação como essa surtirá efeito? Quantas gerações são necessárias para mudar o destino de um país? Certamente mais de uma. Você consegue imaginar uma decisão de mais longo prazo do que está?

Para mim, como empresário, essas duas lições – ser visionário e decidir a longo prazo – de Bill Gates e Steve Jobs, são muito importantes para o crescimento da minha empresa.

Mesmo sabendo que a empresa deles é infinitamente maior do que a minha, isso não significa que eu não deva aprender com eles, muito pelo contrário.

Copiar as práticas de grandes líderes é uma forma simples de você se tornar um melhor administrador e, desse modo, controlar com firmeza a Fragilidade do Gestor.

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

UMA GESTÃO EXTRAORDINÁRIA

O Sistema de Gestão da sua empresa deve ser excepcional, para que você crie negócios extraordinários. A FRAGILIDADE DO GESTOR é uma das mais perigosas porque desequilibra todas as partes da empresa. Por essa razão, controlar essa Fragilidade é uma prioridade.

 

“[…] grandes empresas não são criadas por indivíduos extraordinários, mas por gente comum que faz coisas extraordinárias.

 

No entanto, para gente comum realizar coisas extraordinárias, é absolutamente essencial um Sistema – um ‘modo de fazer’ – que compense a disparidade entre a capacidade do seu pessoal e a capacidade de que a sua empresa necessita para produzir resultados consistentes.”,
Michael E. Gerber, extraído do livro O Mito do Empreendedor.

Uma boa liderança é capaz de controlar a Fragilidade do Gestor

Para que você melhore a cada dia como gestor, aprenda com Napoleon Hill 10 QUALIDADES DA LIDERANÇA:

1. “Coragem inflexível.

2. Autocontrole.

3. Senso de justiça apurado.

4. Decisões bem definidas.

5. Planos bem definidos.

6. Uma personalidade agradável.

7. Simpatia e compreensão.

8. Domínio dos detalhes.

9. Disposição de assumir completa responsabilidade.

10. Cooperação.”

Seguindo todas elas, você controla a FRAGILIDADE DO GESTOR.

7 INDICADORES PARA MEDIR O DESEMPENHO DA EMPRESA

Indicadores de desempenho são uma ferramenta eficaz na administração do seu negócio e, desse modo, lhe ajudam a controlar a Fragilidade do Gestor.

Para saber se a empresa caminha bem, avalie 7 indicadores:

1) Percentual de Crescimento do Faturamento – é importante buscar taxas acima de 5% ao ano, para a maioria dos negócios.

2) Margem de Lucratividade – a lucratividade deve andar de mãos dadas com a evolução da receita. Não adianta faturar muito e dar prejuízo, será pior.

3) Número de Reclamações de Clientes – indica o grau de satisfação com os produtos e serviços da empresa.

4) Índice de Cancelamento de Contratos – melhor ainda do que o indicador 3, informa efetivamente se os clientes estão contentes com a relação custo – benefício dos produtos e serviços da sua empresa.

5) Quantidade de serviços entregues com atraso – apura se os projetos estão sendo recebidos pelo cliente dentro do acordo combinado.

6) Horas de Capacitação de Colaboradores – indicador calculado em função do número de horas médias utilizadas para treinamento das pessoas. 40 a 80 horas por colaborador/ano é uma boa meta a ser buscada.

7) índice de rotatividade – avalia se empresa consegue reter os talentos. Pode indicar também se o processo de seleção dos colaboradores funciona bem.