Como enfrentar problemas externos – Barragem em Barão de Cocais (Real)

A sua empresa já foi prejudicada por algum fator externo? Independente se a resposta for positiva ou não, fique sabendo que é fundamental ter em mente como fazer a gestão de riscos do seu negócio de forma eficaz. Mas, por que isso é tão importante? Por que não fazer essa gestão somente quando algo acontecer?

Como empresário, você precisa ter em mente, antes de qualquer coisa, que eventos externos podem aparecer a qualquer momento e podem, inclusive, prejudicar a sua empresa e fazer com que ela acabe quebrando. No entanto, isso acontece apenas quando o negócio não está preparado.

Sendo assim, já deu para entender um pouco da importância de saber ao certo como calcular o risco da empresa, não é mesmo? Entretanto, para deixar tudo ainda mais claro, veja o vídeo a seguir no qual dou como exemplo o caso da barragem de Barão de Cocais. Preste bastante atenção para entender o que a fragilidade do evento externo pode fazer com a sua empresa.

 Assista ao vídeoComo enfrentar problemas externos – Barragem em Barão de Cocais (Real)“: https://youtu.be/E41xM7qrfl8

Barragem de Barão de Cocais

Sabe o que está acontecendo exatamente nesse momento no Brasil? Uma cidade, em Barão de Cocais, Minas Gerais, a 80 km de Belo Horizonte, mudou completamente sua rotina por conta de um risco de uma barreira que pertence a uma empresa grande do país – a Vale do Rio Doce – e que pode realmente devastar toda a cidade.

As pessoas estão vivendo uma vida muito complicada lá, muitos estão tomando remédios para conseguir dormir. Os moradores estão vivendo um pesadelo porque não sabem o dia de amanhã.

Uma situação parecida com essa aconteceu na barragem de Brumadinho, também em Minas Gerais. Houve muitas mortes, além de toda a lama que destruiu a cidade e a natureza devido a barragem que estourou.

Em Barão de Cocais, 100 mil pessoas estão em uma área que é mais propensa de ser atingida pela lama, ou seja, estão vivendo com um risco muito grande. Mas, o que isso tem a ver com você, empresário?

Acontece que uma das áreas que mais será atingida se acontecer um novo desastre, é a área comercial da cidade. Ela vai ser completamente engolida pela lama, se por acaso a barragem se romper, como os sinais estão evidenciando. Dessa forma, todos os comércios, lojas e negócios instalados nessa região de Barão de Cocais correm o risco de serem literalmente varridos do mapa e  ter que fechar as portas.

Na verdade, grande parte dos comércios já estão fechados por conta do risco dessa região ser atingida pela lama. Para se ter uma ideia, até mesmo alguns bancos grandes que estavam instalados lá, já saíram do local. A cidade está vivendo um problema de falta de instituição financeira.

Pensa que é só isso? Tem casos relatados em jornais que alguns empresários estão recorrendo a dinheiro de agiotas para conseguirem sobreviver. E, como eles dependiam completamente dos bancos, tudo acabou ficando extremamente difícil.

A importância de saber como calcular o risco da empresa

Então é isso que acontece para nós que somos empresários. Quando a gente menos espera, existem alguns acontecimentos que vêm de fora e que causam sérios problemas aos nossos negócios. Isso é o que eu chamo de fragilidade do evento externo. É uma fragilidade muito perigosa, mas que nós, empresários, não damos tanta importância.

Como o próprio nome diz, ela se refere a eventos que vêm de fora e que causam problemas muito graves para uma determinada empresa. No entanto, nós, apesar de termos pouco controle de situações como essas, não podemos ficar de braços cruzados esperando algo acontecer.

O segredo para você sair de situações como essas é reduzir o risco de ser a próxima vítima, identificando todos os eventos externos que podem causar um dano maior para o seu negócio.

Estamos falando aqui de um caso específico dessa mineradora, mas existem outros, como desastres naturais, inundações, entre várias outras coisas que podem parar nosso negócio, total ou parcialmente. Então o segredo é esse: identificar esses eventos e mapeá-los, para que seja possível estabelecer medidas a fim de reduzir o risco deles atingirem nosso negócio.

Eventualmente existem situações que você não consegue eliminar completamente o risco, mas dá para reduzir a possibilidade de acontecer algum problema lá na frente. No caso de Barão de Cocais, por exemplo, os empresários poderiam se organizar para sair de lá e ir para outros locais em vez de esperar que o pior aconteça e que eles sejam obrigados a fechar as portas.

Dessa forma, a fragilidade do evento externo pode realmente causar um impacto negativo no seu negócio. Entretanto, no total existem 11 fragilidades que derrubam sua empresa. Para corrigir todas elas e fazer sua empresa crescer rápido, inscreva-se para uma Mentoria Gratuita no link: http://as11fragilidades.com.br/mentoria/

Quer saber mais sobre como evitar problemas financeiros e, consequentemente, como fazer a empresa crescer? Então se inscreva agora mesmo em meu canal no YouTube por meio do link: http://bit.ly/CanalOthederaldo.

GREVE DOS CAMINHONEIROS – O ATAQUE DA FRAGILIDADE

Dois acontecimentos recentes causaram prejuízo a muitos empresários, talvez tenha sido seu caso.

Um deles se refere a um prédio que desabou na cidade de São Paulo. E o outro acontecimento, todo mundo sentiu na pele: a greve dos caminhoneiros, que parou o país.

Você consegue adivinhar de qual das 11 Fragilidades estamos falando? Da Fragilidade do Evento Externo, certamente.

Neste artigo, você vai saber que problemas esses dois acontecimentos causaram a quem tem uma empresa (ou tinha, porque muitos quebraram) e o que poderia ter sido feito para evitar ou reduzir o tamanho do problema.

Apenas para lembrar, a Fragilidade do Evento Externo é aquela que se manifesta quando eventos, vindos de fora, atingem negativamente a sua empresa. Essa Fragilidade é muito perigosa porque normalmente você tem pouco controle sobre ela e, por isso, você tende a se acomodar, o que é um perigo.

O prédio que desmoronou no centro de São Paulo tinha 24 andares. O edifício havia sido invadido já alguns anos e era ocupado irregularmente. Um incêndio iniciado em um dos andares pôs fogo em todo o edifício, que o fez cair de vez.

Já imaginou o estrago que um prédio desse porte causa nos arredores, quando ele cai? Para você ter uma ideia, quatro outros edifícios próximos ao prédio que caiu foram interditados. As pessoas não podiam entrar.

E o pior: ruas próximas aos prédios foram interditadas. Como estamos falando de uma região fortemente comercial (centro de São Paulo), muitos empresários não puderam abrir sua empresa por vários dias, alguns deles por semanas.

Calculou o tamanho do prejuízo? Você ser obrigado a fechar sua empresa inesperadamente. E estamos falando de pequenos negócios, em que o empresário depende dele para sobreviver.

Com o negócio parado, como será que o empresário conseguiu pagar as contas da empresa, além das despesas pessoais, da família?

Um problema que pegou muita gente desprevenida. O que você poderia ter feito se fosse apanhada por um caso desses?

Falando agora do nosso segundo evento, a greve dos caminhoneiros, os prejuízos atingiram dezenas de bilhões de reais para quem tinha um negócio.

É difícil estimar com precisão os prejuízos, porque enquanto algumas empresas interromperam parte da cadeia de produção, outras pararam de vez. Mas já se sabe que as perdas foram enormes, e muita gente quebrou.

Não sei o seu ramo de atuação, e o quanto você sofreu de danos, mais imagine um restaurante que não conseguiu se abastecer e teve de fechar as portas, ou reduziu a oferta de refeições.

Uma lanchonete da rede Subway, perto da minha casa, que vende sanduíches, fechou por um tempo: colocaram um aviso na porta informando que estavam sem produtos para continuar operando.

Isso sem esquecer os motoristas da Uber… quanto será que tiveram de prejuízos, sem combustível para rodar?  Até aeroportos internacionais suspenderam temporariamente as atividades. Um verdadeiro caos!

Nos dois casos, foi a Fragilidade do Evento Externo em ação. Esta Fragilidade normalmente não recebe a devida a atenção do empresário. Porque você acredita que esses problemas nunca vão atingir sua empresa.

Mas você deve pensar o contrário: exatamente porque são problemas que você não tem muito controle é que você deve se preparar, pois se não o fizer, eles podem lhe derrubar.

Mas fazer o que exatamente? Existem 2 providências que você precisa estabelecer para lidar com a Fragilidade do Evento Externo.

A primeira delas é mapear e tratar todos os eventos externos que podem impactar negativamente o seu negócio, o que vai depender do seu ramo de atividade.

No caso de um restaurante, por exemplo, é preciso prever a escassez de alimentos, a falta de energia, uma inundação na rua onde está localizado o restaurante, entre outros eventos externos.

Ainda falando da primeira medida, depois de identificar os eventos que podem lhe atingir, você deve implantar as ações de contingência para lidar com essas situações, para que os danos ao seu negócio sejam evitados, ou minimizados (caso não possam ser evitados). Essa é a ideia.

A segunda providência é ligar o radar. Você tem de se planejar para o que der e vier. Não pode ficar dependendo do Governo ou de outros fatores que estão fora da empresa.

Para não ser pego desprevenido, é fundamental estar informado sobre tudo aquilo que tem relação direta com seu negócio, além dos assuntos que afetam as empresas em geral.

É necessário que você leia jornais e revistas do seu setor de atuação, converse com empresários do ramo, participe de eventos etc., mantendo-se a par do que acontece ao seu redor.

Essas são duas medidas muito eficazes para você lidar com a Fragilidade do Evento Externo. Não corra riscos indevidos. Proteja sua empresa.

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

 

 

 

Apagão afeta negócios em todo Nordeste

A FRAGILIDADE DO EVENTO EXTERNO – UM APAGÃO

Mais de 70 milhões de pessoas e 13 estados brasileiros ficaram sem luz por causa de APAGÃO que aconteceu ontem. O blecaute teve início às 15h48 e até 19h45 ainda havia locais com falta de energia.

“Ficamos sem vender por duas horas”, reclamou Erica Sampaio, gerente de um restaurante do aeroporto de Salvador, que só teve o fornecimento regularizado às 18h. Duas horas sem vender, num ponto comercial caro como um aeroporto internacional, significa um grande prejuízo para os empresários ali instalados. Calcule agora as perdas que milhares de empresas do país tiveram com o apagão.

É a FRAGILIDADE DO EVENTO EXTERNO em ação, causando prejuízos ao seu negócio. Esta Fragilidade age quando eventos, vindos de fora da empresa, geram transtornos e perdas financeiras.

O que fazer nessas horas para proteger seu negócio? Bem, é preciso que você identifique previamente os riscos capazes de interromper a operação da empresa. O próximo passo é implantar medidas para não ser pego desprevenido, na eventualidade de riscos que partem de fora ocorrem.

Por exemplo, no caso do Apagão, uma medida seria instalar um Nobreak. Mas é preciso calcular o custo do equipamento versus o prejuízo com a parada. São muitas as situações a considerar para decidir o que será feito ou não.

Para saber mais sobre o BLECLAUTE clique aqui: Folha de São Paulo – Apagão Atinge 70 Milhões de Pessoas e os Estados do Nordeste e Norte do País

 

#As 11 Fragilidades
Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.