Porque o Problema da Sua Empresa Não é Falta De Dinheiro

, ,


Por que o problema da sua empresa não é falta de dinheiro?
O grande problema é a falta de dinheiro.
Quando questionados, empresários e empreendedores dizem que não podem investir em inovação e atualização tecnológica, porque não existem mais recursos financeiros disponíveis. Não podem contratar os melhores profissionais, porque o caixa da empresa não suportaria tal “custo”.
Mas, se a empresa tivesse dinheiro, tudo estaria resolvido? Você já teria os melhores resultados? Assista ao vídeo completo para entender realmente porque o problema da sua empresa não é a falta de dinheiro!
De fato, em alguns negócios, pode ser que parte do problema seja a falta de dinheiro, entretanto, na maioria das vezes não é. As fragilidades podem ser outras como, por exemplo, as dificuldades na hora de vender, a falta de inovação e até mesmo as dificuldades relacionadas à administração.
Será que se hoje as empresas recebessem uma boa quantia os problemas estariam resolvidos?
Muitas vezes o dinheiro leva toda a culpa, mas em nada os problemas estão relacionados com a fragilidade financeira! O risco de ficar desatualizado tecnologicamente e o risco de não saber administrar o negócio impactam tanto quanto a falta de dinheiro.
Por isso, o primeiro passo é se questionar: “Por que falta dinheiro na empresa?” O que você pode fazer para transformar essa realidade? Precisa investir em inovação? Fazer uma atualização tecnológica?
Você precisa entender a fragilidade do gestor e talvez reaprender quais são os melhores caminhos para administrar corretamente o seu negócio? Responda com sinceridade!
Agora que você já sabe que nem sempre a culpa é de fato da falta de dinheiro em caixa na empresa, aproveite para assinar meu canal do YouTube e confira outros vídeos que tratam sobre as fragilidades mais comuns dentro das pequenas e médias empresas.
Clique aqui para assinar: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.
Além disso, estar de olhos nas 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa é indispensável para crescer. Acesse o livro completo pelo link: http://livro.as11fragilidades.com.br/.

Sua empresa está sem dinheiro? Saiba como contornar a situação atacando a raiz do problema!

, ,

A falta de dinheiro no caixa da empresa com certeza é um empecilho para o crescimento e para a realização de inúmeros projetos. Entretanto, você sabia que nem sempre este é o problema raiz do seu negócio?

Apesar de muitos empresários usarem um eventual aperto financeiro como desculpa e justificativa da falta de investimento na empresa, a verdade é que a expansão de um negócio vai muito além de ter um caixa confortável ou não. Envolve administração,planejamento e inovação!

Em alguns casos, a falta de dinheiro no caixa da empresa nada mais é do que um problema superficial para as verdadeiras fragilidades que estão atrapalhando o negócio.

Veja no vídeo a seguir alguns clássicos, rápidos e também reais exemplos nos quais a “empresa sem dinheiro” nada mais era do que um negócio sem boa gestão e sem uma rotina de investimento em modernização:

Fragilidade da tecnologia e inovação

Como você viu, a falta de dinheiro no caixa da empresa nem sempre é o verdadeiro motivo por trás da falta de crescimento do negócio. Hoje em dia, a fragilidade da tecnologia e inovação tem assustado muitos empresários. Isso porque, sem investir nessa área, aumenta o risco de a empresa ficar desatualizada, o que pode gerar prejuízos irreversíveis para o negócio.

O problema não é da crise financeira! O problema é seu e da sua empresa! Apesar das crises impactarem deforma negativa a vida das pessoas e, por consequência, também os negócios, é válido lembrar que hoje em dia empresários de setores diversos têm utilizado o título de crise como desculpa para tudo, incluindo seus próprios fracassos!

Na verdade, o que muitas vezes falta é o preparo e a atenção para enxergar no futuro as melhores oportunidades, driblando assim a fragilidade da tecnologia e inovação antes que ela seja de fato um problema. Quer um exemplo disso? Simples! Faltam clientes para chamar táxis ou faltam táxis modernizados e acessíveis a partir de aplicativos no celular?

Essa discussão você com certeza viu recentemente. Com a chegada de aplicativos como o UBER, muitos taxistas se“revoltaram” devido à perda de uma parcela de seu mercado. No entanto, de quem era a real culpa? Em meio a uma população cada vez mais conectada e online, não era de se espantar que a inovação chegasse até mesmo para a forma de se pedir táxi, certo?

Afinal, chegou para a maneira de pedir comida, para a forma como as lojas vendem roupa hoje em dia e para muitos outros negócios a partir de seus processos e modernizações. Entretanto, como manter tecnologia e inovação de ponta em uma “empresa sem dinheiro”?

Fragilidade do gestor

A falta de dinheiro no caixa da empresa muitas vezes se deve à fragilidade do gestor. Ou seja, pode ser que o dinheiro esteja entrando, que as vendas estejam acontecendo. Ainda assim, se o saldo final não é bom, o que significa? Que a gestão dos recursos não está sendo eficiente!

Administrar tudo que entra e tudo que saí é uma das tarefas mais importantes da vida e da rotina do empresário, que também precisa ser um bom gestor! Uma vez que não se pode fazer quase nada sem dinheiro, é necessário olhar com atenção para a gestão da empresa, ou corre-se o risco de colocar tudo a perder.

É necessário PLANEJAMENTO! Essa é uma das ferramentas mais decisivas para o sucesso, seja na vida pessoal ou, especialmente, na vida profissional. Sem planejar você não consegue administrar tudo o que precisa e com isso pode vir a gastar mais e sem eficiência, por exemplo.

Nas pequenas e médias empresas a fragilidade do gestor é ainda mais evidente, uma vez que que este acumula muitas responsabilidades de forma concomitante. Muitas vezes, é o gestor quem administra toda a parte financeira, quem contrata e demite, quem fala diretamente com os clientes e quem resolve todos os “pepinos” que aparecem pelo caminho.

Ao somar todas as tarefas, pode ser que uma ou outra passe despercebida. Neste caso, quando as finanças não recebem atenção suficiente, o resultado é ver a empresa sem dinheiro.

O que fazer para driblar tais fragilidades e riscos?

Podendo estar intimamente ligadas, as fragilidades da tecnologia e inovação, bem como a do gestor, são impactantes e influenciam nos resultados do seu negócio. Portanto,ambas merecem bastante atenção.

A dica aqui, inclusive, é trabalhar cada uma dessas fragilidades de modo isolado para mais tarde, em conjunto com as demais apontadas no livro As 11 Fragilidades que Derrubam Sua Empresa, ter um melhor funcionamento do seu negócio.

A falta de dinheiro no fluxo de caixa da empresa não pode ser desculpa para deixar o negócio dentro de uma zona de conforto sem qualquer crescimento ou investimento em tecnologia e inovação. Aproveite para conhecer essas fragilidades em maiores detalhes, além de outras importantes fragilidades abordadas no livro e faça a diferença dentro do seu empreendimento para ver excelentes resultados!

Faça parte da melhor audiência do Brasil de empresários interessados em resolver suas fragilidades e riscos, para que a empresa volte a crescer de maneira sustentável. Inscreva-se agora no meu canal do YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCt42WaM9p78BBzW-Fb6StKQ.

Por que investir em tecnologia na sua empresa?

 

POR QUE INVESTIR EM TECNOLOGIA NA SUA EMPRESA? – O RISCO DE FICAR DESATUALIZADO

Quanto Você Precisa Saber de Tecnologia Para Dirigir Sua Empresa?

De zero a 10, quanto você precisa saber de tecnologia para dirigir sua empresa?

Muitos empresários têm dúvidas quanto a esta questão: para quem tem uma empresa, o que vale mesmo é o conhecimento que você tem no seu ramo de atuação, ou você precisa também entender de tecnologia?

E eu preciso lhe dizer que, nos dias de hoje, e cada vez mais, valem ambos: o conhecimento no seu negócio, sim, mas também na tecnologia. Mas quanto de cada? 50%, 50%? Qual a proporção ideal para conhecer cada um deles?

Neste artigo, você vai descobrir porque a tecnologia é mais importante do que você imagina para o seu negócio e o quanto você precisa ter domínio sobre ela.

Respondendo à primeira questão, mais do que nunca a tecnologia está presente na vida das empresas. Ninguém vive sem ela hoje. Ninguém! Nem as empresas mais tradicionais, como os médicos, os educadores, ou artistas, por exemplo, quando esses atuam por conta própria.

Tecnologia é um tema longo, poderíamos falar aqui por várias horas, mas eu vou resumir o quanto a tecnologia é essencial em dois pontos apenas. O primeiro deles é que a tecnologia está presente em praticamente todos os processos da empresa. Anteriormente não era assim.

Antes, a preocupação maior era utilizar a tecnologia para modernizar o processo de fabricação do produto, pois o empresário necessitava de equipamentos modernos para ser competitivo.

Isso valia – e vale – para quase todos os setores, desde um dentista, que precisa ter equipamentos supermodernos para prestar um bom serviço, até quem fabrica roupas, que deve utilizar máquinas atualizadas, tomando-se dois exemplos.

Contudo, agora a tecnologia vai além do processo de produção e passou a ser parte vital dos processos de vendas, de suporte ao cliente, de seleção e treinamento dos colaboradores etc.

Imagine uma empresa hoje que não utiliza o Marketing Digital para se promover, se relacionar com os clientes e vender em larga escala. Ou que não usa canais como o WhatsApp para dar suporte aos clientes. Ou que não aplica treinamentos online para capacitar os colaboradores.

Você até pode sobreviver se não fizer nada nisso, mas eu lhe garanto que você tem mais chances de crescer se utilizar esses e outros recursos da tecnologia.

A segunda razão que explica porque a tecnologia é essencial é que a “geração de nativos” – por razões óbvias – só aumenta. São os bebês que nascem embrulhados na tecnologia, crescem com ela, e serão seus consumidores amanhã. E eles vão escolher sua empresa não apenas pela qualidade do produto, mas também pela forma com que você entrega os produtos a eles.

Tomando um exemplo, nos dias de hoje (amanhã pode mudar novamente), as pessoas utilizam muito mais Uber do que táxi. O produto (um meio de transporte) é praticamente o mesmo, mas a forma de usar e comprar é totalmente diferente.

Por esse motivo, caso você perca o “timing” da tecnologia sua empresa corre o risco de não durar muito, porque você não terá mais para quem vender.

E agora surge a pergunta final. Quanto eu preciso saber de tecnologia? Bem, a resposta é que você precisa ter conhecimento suficiente para decidir sobre os investimentos que fará na empresa, para que ela se mantenha atualizada.

Numa pequena e média empresa quem decide sobre os assuntos estratégicos é você, certo? Ninguém mais. Considerando que a tecnologia é altamente estratégica, você precisará ter um bom conhecimento da tecnologia, para decidir o que será aplicado no seu negócio.

50% a 50%? Depende. Pode ser menos do que o conhecimento no negócio, mas também pode ser até mais. O que tenho certeza é que nunca é muito pouco, e a tendência é aumentar.

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

5 Perguntas para saber se sua empresa está atualizada

Você tem evoluído tecnologicamente ou será que anda parado no tempo. Outra pergunta: sua empresa tem inovado, ou não?

Certamente algum investimento em tecnologia e inovação você deve ter feito nos últimos tempos, ou sua empresa não estaria mais de pé. Mas sempre fica a dúvida se o tempo e dinheiro investido tem sido suficiente para a empresa andar para a frente.

Para lhe ajudar a esclarecer essa dúvida crucial, eu vou lhe fazer 5 perguntas simples, para que você descubra se sua empresa tem inovado e se atualizado na medida certa.

Este é mais um conteúdo sobre as 11 Fragilidades, e hoje nós vamos falar da Fragilidade da Tecnologia e Inovação.

Então vamos às 5 perguntas:

A primeira pergunta é a seguinte: você lançou algum produto ou serviço novo nos últimos 12 meses?

Nesse caso, pesa menos se você fez uma modernização no produto atual, ou se melhorou o serviço prestado… o que vale mesmo é se você criou um produto novinho em folha. A regra vale para qualquer negócio, guardadas as devidas proporções, porque alguns setores são mais propensos à inovação, por exemplo, a indústria de software.

Sua inovação não precisa ter sido mirabolante A questão central é saber se você introduziu alguma tecnologia ou inovação que melhorou de verdade a vida do seu cliente.

É onde entra a segunda pergunta: considerando que a resposta da primeira pergunta foi “Sim”, de que maneira os seus clientes reagiram ao produto que você criou? Eles gostaram? Compraram a ideia? Adotaram o novo serviço ou produto?

Se a resposta for “Não”, é provável que você tenha de voltar ao passo 1 e rever seu produto. Isso porque não adianta criar algo fenomenal e ninguém usar!

Claro que ideias inovadoras levam um tempo para serem aceitas. Foi o caso do Uber, por exemplo, que levou tempo para que as pessoas descobrissem que contavam com um novo transporte muito eficiente. Porém, se a sua inovação não “virar”, é melhor você reavaliar seu novo produto, pois algo pode ter dado errado.

A internet e a mobilidade têm sido centro das suas atenções, quando você pensa no cliente? Esta é a terceira pergunta que você precisa responder. E por que?

Porque tem duas coisas que se tirarem da maioria das pessoas elas fica louca: uma é a internet e a outra , o telefone celular.

Isso porque tudo hoje está na internet, e o aparelho mais utilizado para acessar às informações na internet é o smartphone, de longe. Portanto, para quase tudo que você pretende oferecer aos clientes,  é essencial pensar na internet e na mobilidade.

Quarta pergunta: você utiliza as redes sociais (Facebook, YouTube, Instagram etc.) para se comunicar com os clientes? Como você interage com eles? Você entrega regularmente conteúdo útil aos clientes, para que aprendam como melhorar o negócio deles?

Por exemplo, se você vende roupa feminina, poderia publicar matérias ensinando as pessoas a se vestirem bem, ou sobre moda em geral. Entregar conteúdo de utilidade é uma maneira eficaz de você se aproximar do seu público, de gerar confiança. Isso porque você mostra que conhece bem o negócio do cliente e, por isso, pode ajudá-lo a progredir.

Outra coisa interessante é você utilizar o Marketing Digital para vender seus produtos, porque isso abre muitas portas para você inovar em vendas, fazendo seu faturamento crescer com vontade.

E a quinta e última pergunta é endereçada a você diretamente. Neste momento, olhe bem para dentro de você.

Você tem se sentido cansado de fazer a mesma coisa todos os dias?

Se estiver com essa sensação, acenda a luz vermelha. Possivelmente é um forte sinal de que você anda sem criar nada novo. É porque essa situação cansa, e o incômodo que você está sentindo é uma boa oportunidade para você mudar de vida, inovar, dar uma guinada na tecnologia que sua empresa utiliza. Não se acomode.

Bem, essas são as 5 perguntas que você precisa se fazer. Se você respondeu “Não” a pelo menos duas questões, é um aviso que a Fragilidade da Tecnologia e Inovação está por perto da sua empresa, se é que já não lhe pegou.

Meu melhor conselho é você virar o jogo imediatamente, de modo a responder “Sim” a todas as pergunta, sem exceção. Não é tão difícil assim, acredite em mim.