Como fazer a empresa crescer rápido (7/15) – Cumpra normas da empresa

,

Quer saber por que é importante cumprir as normas da empresa? Mais especificamente, quer entender ao certo qual a relação que existe entre o cumprimento de normas e o crescimento da empresa? Então a boa notícia é que você está no lugar certo. Afinal de contas, ter em mente essa relação é algo fundamental para que o seu negócio cresça de forma saudável.

Para adiantar um pouco o assunto, vale ressaltar que o fato de cumprir ou não normas está intimamente relacionado com o crescimento e com o desenvolvimento de um determinado negócio. Aquele empresário que não segue à risca as normas existentes, corre sérios riscos de fechar as portas.

E isso com certeza é algo que você não deseja, não é mesmo? Dessa forma, veja o sétimo vídeo da série como fazer a empresa crescer rápido e entenda de uma vez por todas porque essa questão do cumprimento de normas faz toda a diferença no sucesso dos negócios.

 Assista agora ao VÍDEO Como Fazer a Empresa Crescer Rápido (7/15) – Cumpra Nomas da Empresa: https://youtu.be/1cU1UzbP4M8

Como fazer o negócio crescer cumprindo normas?

Qual a relação que existe entre cumprimento de normas e o crescimento da empresa? Para começar, está mais do que comprovado que nenhum crescimento é sustentável se a empresa não atender às normas que estão no mercado.

Existem 2 tipos de normas: as normas externas, que são aquelas criadas pelos reguladores externos e que para nós, empresários, só nos cabe obedecer todas elas; e existem as normas internas, que são aquelas criadas pela organização e, nesse caso, há normas de comportamento e aquelas que são relativas aos processos da empresa. Nos dois casos, elas influenciam e muito o crescimento da empresa.

As grandes empresas documentam a maior parte das normas, porque elas não conseguiriam desenvolver o negócio se essas normas não estivessem explícitas. Já nas pequenas e médias empresas, essa documentação, esse registro mais formal das normas, é mais raro, uma vez que não é barato fazer essa documentação.

Então, cabe a você, como empresário, dependendo do tamanho da sua empresa, usar o bom senso e decidir o que deve ou não ser registrado como norma. Entender ao certo porque é importante documentar os processos da empresa pode ser um dos primeiros passos para começar.

Acontece que é muito comum que o pequeno empresário não dê muita atenção a essa questão de normas. Ele apenas atende algumas normas por obrigação, mas acaba não as usando como instrumento para o crescimento. E é exatamente isso que vou explicar a seguir.

Por que é importante documentar as normas da empresa

Existem 3 motivos principais que mostram a relação entre obedecer normas e fazer com que a empresa cresça de forma saudável. De qualquer forma, antes de falar sobre cada um deles é importante ressaltar que evitar a fragilidade da norma é algo extremamente importante para o crescimento de qualquer empresa.

Tendo isso em mente, veja a importância de como documentar as normas da empresa e os processos internos dela.

  1. O risco da empresa pagar multa

A primeira razão é que se você não atender às normas externas, a sua empresa corre o risco de sofrer com multas, quando não acontece coisa pior. Para se ter uma ideia, em alguns setores mais regulados como, por exemplo, restaurante e bares, se o negócio não atender determinada norma, ele pode ter suas operações interrompidas.

Então, além de pagar multa em situações como essa, você pode ter que fechar a empresa, como é possível ver acontecer em vários locais. Cumprir uma norma de forma incompleta também pode ser prejudicial. E esse problema atinge também grandes empresas, não só pequenas e médias.

Quer um exemplo? O Google, em 2018, teve que pagar uma multa de 4,3 bilhões de euros, porque descumpriu com as normas de anúncios da comunidade europeia. Sendo assim, é preciso ter muita atenção.

Uma coisa boa é que você pode utilizar isso a seu favor. Mas como assim? Uma determinada empresa pode, sabendo que uma norma foi lançada, usá-la como uma ferramenta de marketing em prol do negócio. Dessa forma, as normas também podem servir como uma alavanca de crescimento da empresa.

  • O risco de perder clientes

O segundo motivo para relacionar cumprimento de normas ao crescimento, falando especificamente de normas internas, é que a sua empresa corre o risco de perder clientes se não cumprir corretamente essas normas.

Como assim? É simples. Todo relacionamento que você tem com o cliente deveria ser documentado, ou seja, deveria existir um processo muito bem delineado. Dessa forma é possível reduzir vários riscos como, por exemplo, de entregar um produto com defeito, de esquecer de entregar no prazo combinado e até mesmo reduz o risco de você acabar prestando um serviço diferente para o cliente quando muda o colaborador. 

Nesse último caso, nunca se esqueça de que o cliente quer que você o atenda sempre da mesma maneira, independente do funcionário ou de outros aspectos. E, para isso, é necessário ter um processo documentado para que as pessoas o executem sempre da mesma forma e, consequentemente, o cliente seja atendido sempre da mesma maneira.

Quando isso acontece, você reduz o risco de perder cliente, porque ele fica satisfeito e acaba comprando mais e até falando bem do seu negócio para outras pessoas. E sabe o que tudo isso significa? A sua empresa cresce!

  • Chances de aumentar a produtividade

E, por fim, a terceira razão para você relacionar norma e crescimento é que é possível aumentar a produtividade da empresa. Quando você tem os processos bem definidos e documentados, dá para olhar para cada um deles e promover cada vez mais melhorias.

Por exemplo, você pode ver atividades que não estão agregando valor nenhum nem para a sua empresa e nem para o cliente, então é possível removê-las. E por aí vai. Ou seja, dá para olhar o processo atentamente, melhorá-lo e, como consequência, a produtividade da empresa vai aumentar.

E, quando a produtividade aumenta, o que acontece? O negócio cresce mais e passa a ser mais capaz de atender a demanda que vem do mercado. E com tudo isso a tendência é o crescimento, com toda a certeza.

Independente do tamanho da sua empresa, é importantíssimo observar essas três razões que levam você ao crescimento ou não. Especificamente no caso de pequenas empresas, é fundamental que essas normas sejam documentadas de forma simples, objetiva e sem burocracia. 

Existem várias empresas que eu converso e que não têm essas normas explícitas e às vezes não existem normas nem mesmo implícitas na cabeça do empresário. Tenha sempre em mente que para o crescimento da empresa essa questão é realmente muito importante.

Dessa forma, a fragilidade da norma pode realmente causar um impacto negativo no seu negócio. Entretanto, no total existem 11 fragilidades que derrubam sua empresa. Para corrigir todas elas e entender como documentar os processos da empresa, inscreva-se para uma Mentoria Gratuita no link: http://as11fragilidades.com.br/mentoria/ para que depois de conhecer a sua empresa eu possa oferecer a mentoria máster.

Para ter acesso aos demais vídeos dessa série de como fazer a empresa crescer rápido, é só se inscrever em meu canal no YouTube através desse link: http://bit.ly/CanalOthederaldo.

DÊ O EXEMPLO. SEJA O PRIMEIRO A CUMPRIR AS NORMAS.

“DÊ O EXEMPLO
Vou insistir nesta regra: as normas não devem ser criadas somente para os colaboradores, mas também para você, o dono do negócio. Se você não servir de exemplo, seguindo à risca os procedimentos que você determinou, por que as pessoas o fariam?

A tendência é que elas o copiem, mesmo disfarçando que agem de modo diferente. Portanto, seja íntegro no compromisso e na prática de cumprir os regulamentos, assim como os demais colaboradores.”, extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

O SEGREDO DOS GIGANTES PARA RESOLVER A FRAGILIDADE DA NORMA

“O SEGREDO DOS GIGANTES
As grandes empresas desenvolveram ao longo do tempo métodos eficazes para gerenciamento das normas às quais estão sujeitas. Elas chegaram nesse estágio avançado porque – exatamente por serem grandes – estão sempre na mira dos órgãos governamentais. Quando companhias maiores dão qualquer passo em falso, correm o risco de sofrer sérias penalizações.

Além do mais, no caso de alguma infração mais grave, elas podem vir a ter suas operações suspensas. Já imaginou o tamanho do prejuízo se o McDonald’s perdesse um certificado ambiental e, por isso, fosse obrigado a deixar de vender em um determinado país? É por essa razão que as grandes empresas se aperfeiçoaram no controle das normas.

Para as pequenas e médias empresas, aprender com as grandes é uma boa alternativa para evoluir.” extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

 

CONTROLE A FRAGILIDADE DA NORMA – SEJA ÉTICO

SEJA ÉTICO ANTES DE TUDO:
1) Cumpra as suas promessas;

2) Não fale mal dos concorrentes;

3) Não finja que as ideias de outros são suas;

4) Admita seus erros e não culpe outras pessoas;

5) Não minta;

6) Não constranja seus colaboradores.

SE VOCÊ, O DONO DA EMPRESA, NÃO DER O EXEMPLO, QUEM O FARÁ?

QUE MÉTODO VOCÊ UTILIZA PARA CONTROLE DAS NORMAS?

“A última razão para você ser apanhado pela Fragilidade da Norma é, por um lado, a baixa prioridade que as pequenas empresas normalmente dão ao assunto e, por outro lado, a ausência de método eficiente para controlar as normas, tanto as internas quanto as externas.

Como todo bom empresário, você não deve gostar muito de lidar com a burocracia de documentos, de checar se as certidões estão em dia, de acompanhar o recolhimento dos impostos, entre outras coisas do gênero. Possivelmente você prefere focar nas vendas, no desenvolvimento do produto, nas questões estratégicas da companhia. A situação não é diferente com outros empresários. Todavia, a falta de acompanhamento das normas mais importantes pode lhe causar transtornos no futuro.

Em complemento à baixa prioridade para lidar com o assunto, normalmente as empresas não dispõem de métodos adequados para a gestão das normas. Devido à variedade e à complexidade dos regulamentos, não é trivial implantar controles que funcionem a contento.”, extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

3 DICAS PARA OS COLABORADORES CUMPRIREM AS NORMAS

3 DICAS PARA OS COLABORADORES CUMPRIREM AS NORMAS:

 

1) COMUNIQUE – Se não souberem que há regras específicas, as pessoas não poderão incorporá-las. Não espere que elas se comportem como deveriam, nada é óbvio. Comandos claros e precisos são fundamentais.

 

2) CAPACITE – Instruir os colaboradores sobre a execução das normas é outra medida essencial. Os treinamentos devem ser repetidos sempre que novos regulamentos surgirem ou quando colaboradores forem recém-contratados.

 

3) TESTE – Confira se os colaboradores estão executando as normas conforme o esperado. Apesar da divulgação e dos treinamentos promovidos antes, saber que serão avaliados a qualquer tempo, deixa todos alertas quanto ao cumprimento das regras estabelecidas.

A NORMA NÚMERO 1

“A NORMA NÚMERO 1
A mais importante de todas as normas de uma empresa, incluindo a sua, é o código de ética. É a partir dele que a empresa orienta os colaboradores sobre o que é certo ou errado e os ajuda a tomar decisões e fazer escolhas no dia a dia. O código de ética expressa ainda o que a empresa entende por um comportamento ético e esclarece os valores e princípios da organização. […]

A ética não é mais uma exigência apenas moral, mas se tornou vantagem competitiva. As pessoas preferem, cada vez mais, comprar e vender para quem é ético, para quem trabalha corretamente. Se a sua empresa deseja crescer, terá que adotar a ética como princípio, e não apenas na teoria, mas também na prática. “, extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

COMO AS GRANDES EMPRESAS CONTROLAM A FRAGILIDADE DA NORMA

“As grandes empresas documentam suas normas, porque sabem que esse é um instrumento eficaz para controlar a Fragilidade da Norma. Se as regras estão escritas e você instrui os seus funcionários a respeito delas, o risco de que não sejam cumpridas diminui. As grandes companhias agem desse modo porque aprenderam a forma de lidar com a Fragilidade da Norma.

A mesma prática não é adotada no caso das pequenas e médias empresas, onde muitos regulamentos são informais, comunicados verbalmente aos colaboradores. Isso porque é caro – e mesmo desnecessário – documentar tudo em uma companhia de pequeno porte. Por outro lado, deve-se ter consciência de que isso atiça a Fragilidade da Norma.

É preciso bom senso para decidir que normas devem ser escritas. Eu conheço empresários que não documentam uma linha sequer (nada mesmo!). Proceder assim é desaconselhável.”, extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

 

 

POR QUE É DIFÍCIL CONTROLAR A FRAGILIDADE DA NORMA?

4 MOTIVOS QUE TORNAM DIFÍCIL CONTROLAR A FRAGILIDADE DA NORMA:

1) CULTURA – Nossa cultura no Brasil não é forte para cumprir normas. Pelo contrário, somos craques em achar um jeitinho para driblar as regras. O mau costume exige esforço adicional das empresas para garantir que seus funcionários estejam em conformidade com os procedimentos do dia a dia.

2) QUANTIDADE E COMPLEXIDADE – O Governo produz uma enorme quantidade e diversidade de regulamentos. Estar a par de todas as normas e ser capaz de dissecá-las é uma missão que beira o impossível.

3) BAIXA PRIORIDADE – O empresário não gosta de lidar com a burocracia de documentos e de checar se tudo está em dia. Ele prefere focar nas vendas, no desenvolvimento do produto, na operação da companhia, deixando em segundo plano o controle das normas internas e externas.

4) FALTA DE MÉTODO – As pequenas e médias empresas não dispõem de métodos para o controle das normas. O problema é que implantar controles que funcionem a contento não é uma tarefa simples. É preciso monitorar o mercado todo o tempo para saber quando novos regulamentos são publicados, além de acompanhar as mudanças em normas existentes.

CUIDADO COM O QUE VOCÊ FALA!

“Uma declaração mal-entendida pode causar danos sérios a sua imagem, especialmente quando você está falando para um público de fora da empresa. Porém, é necessário cuidado também quando você expõe suas ideias dentro da empresa, para que seus colaboradores não compreendam de modo equivocado aonde você pretende chegar.

Alinhe com seus colaboradores – especialmente os gerentes, os vendedores e outras pessoas que circulam no ambiente externo – um discurso comum sobre a empresa, a ser utilizado em entrevistas com a imprensa, nas visitas a clientes, em eventos etc. Isso reduzirá os riscos de alguém falar o que não deve sobre sua empresa.”, extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.