AS 5 LIÇÕES DE GESTÃO DE RISCOS QUE VOCÊ PRECISA SABER

,

Você sabe controlar os riscos da sua empresa? A palavra risco é parte do seu vocabulário como empresário. Você lida com riscos o tempo inteiro, mesmo que muitas vezes nem perceba que está fazendo isso.

Porém, talvez você não saiba como administrar os riscos da melhor forma. E ter esse conhecimento é vital para o seu negócio, para que amanhã você não seja apanhado por um problema em função de riscos que você desconhecia

Por esse motivo, eu vou lhe falar de 5 lições sobre gerenciamento de riscos, para você utilizar na administração do seu negócio. Você também vai saber o que sua empresa e você ganham com isso.

A primeira lição é que Risco é um evento que pode ou não acontecer, num futuro breve ou mais distante. Todo risco tem um grau de incerteza. Se você tem certeza de que a situação vai acontecer, não é mais um risco e sim um fato concreto. Os riscos acontecem tanto na sua vida pessoal quanto na sua empresa.

Por exemplo, existe o risco de pegarmos um resfriado nos próximos 3 meses, mas certeza mesmo não dá para ter. Se eu já estou resfriado, já é um fato, e não mais um risco.

Vamos agora falar da sua empresa: alguns riscos estão sempre presentes em qualquer empresa, por exemplo, o risco de você perder um cliente, o risco de não bater as metas de vendas, o risco de ficar sem dinheiro para pagar as despesas. Em todos esses casos, não há 100% de certeza que acontecerão, correto? São sempre possibilidades, que podem ser maiores ou menores.

A segunda lição é que sempre que um risco vira realidade, ele normalmente vai lhe causar algum dano, prejuízo (se não financeiro, de outra natureza). Um risco, portanto, está associado a uma consequência negativa para sua empresa e, por isso mesmo, precisa ser controlado.

Voltando ao caso do resfriado, se ele lhe pegar, você pode ficar de cama, indisposto. No caso da sua empresa, se o risco de você perder um cliente importante acontecer, você perderá faturamento, o que dificultará seu fluxo de caixa no dia a dia.

Existem situações em que os riscos podem ser oportunidades, ou seja, geram um impacto positivo ou invés de negativo. Mas isso será tema de outra matéria, porque requer mais explicações.

Terceira lição: os riscos podem ser previstos ou imprevistos. Previsto não quer dizer que o risco é certo, lembre-se que sempre há um grau de incerteza. Porém, alguns riscos são mais fáceis de você imaginar, de antever, com base na sua experiência de empresário.

Por exemplo, atrasar a entrega de um projeto para o cliente é sempre um risco previsto. Por mais que você se esforce, a possibilidade de atraso existe, pois há variáveis fora de controle, por exemplo: um funcionário pede demissão, suas estimativas de tempo estavam erradas etc.

O lado bom dos riscos previstos é que você pode se antecipar e estabelecer medidas para lidar com eles, para não ser pego desprevenido.

Já os riscos imprevistos, não são percebidos por você facilmente, porque a probabilidade de eles acontecerem é baixa, são riscos raros. O problema é que eles causam grandes prejuízos quando ocorrem, e por isso mesmo são perigosos. E como você não se prepara para eles, pegam você desprevenido, sem dar dá tempo para você reagir.

Por exemplo, um imprevisto seria a possibilidade de sua empresa perder 50% dos clientes. Na sua cabeça isso é tão pouco provável que não entra no seu campo de visão, mas é uma situação inteiramente possível.

A quarta lição, uma das mais importantes, é que os riscos têm duas variáveis-chave que servem para você calcular o impacto do risco para sua empresa.

A primeira variável é a Probabilidade do Risco acontecer ou não. Você deve classificar a Probabilidade de 1 a 4, numa escala assim: Baixa (1), Média (2), Alta (3), Muito Alta (4).

A segunda variável é o Impacto do Risco. Você já sabe que o risco vai causar um impacto negativo, mas qual o tamanho do impacto na sua empresa? O Impacto deve ser classificado numa escala de 1 a 4, semelhante ao que você fez para a Probabilidade.

Para calcular o risco final, você multiplica a Probabilidade pelo Impacto. Em seguida, você decide as medidas que vai tomar para reduzir a Probabilidade do risco acontecer, ou para diminuir o Impacto do risco na empresa, caso ele ocorra.

Se o risco daquele resfriado existe, você pode reduzir a possibilidade dele chegar, por exemplo, dormindo 7 a 8 horas diariamente, alimentando-se bem, praticando exercícios. Mas, como sabemos que não dá para controlar totalmente um resfriado, você pode tentar controlar o impacto do resfriado, por exemplo, tomando uma vacina.

Pensando na empresa, se você detectou que vai perder clientes, porque a crise econômica se agravou, pode se antecipar, por exemplo, oferecer um desconto voluntário nos preços para segurar o cliente.

A quinta e última lição: o que você ganha exatamente com o gerenciamento de riscos?

A partir das dicas acima, você já percebeu que terá grandes benefícios, sendo o maior deles enxergar com antecedência os riscos que afetarão negativamente a sua empresa.  Ninguém quer ser pego desprevenido, e um bom controle dos riscos permitirá que você aviste na frente problemas e se prepare para lidar com eles.

Depois que o risco acontecer, já era, o prejuízo está feito. O segredo é você identificar os risco antes, calcular a probabilidade e o impacto deles e, com isso, já estabelecer medidas para não ser pego desprevenido.

Live – As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa

Nesta live inédita, Othederaldo esclarece questões importantes sobre as Fragilidades que impedem sua empresa de crescer e, pior, podem fazer ela quebrar de repente.

Pesquisas confiáveis indicam que são 11 as Fragilidades que precisam ser corrigidas, para evitar que o empresário perca tudo o que conquistou em questão de pouco tempo.

A Live foi realizada com exclusividade para os 20 primeiros compradores do livro AS 11 FRAGILIDADES QUE DERRUBAM SUA EMPRESA, escrito por Othederaldo, e agora está disponível para você. Assista ao vídeo e não perca a oportunidade de conhecer os principais pontos fracos da sua própria empresa e o que você deve fazer para consertar todos eles.

Quer Levar Sua Empresa Longe?

 

SÓ TEM UM JEITO DE CHEGAR BEM LONGE:

CONTROLE AS 11 FRAGILIDADES DA SUA EMPRESA.

“Apenas aqueles que se arriscam a ir longe demais têm a chance de descobrir o quão longe podem ir”, T. S. Eliot.