Como Criar Indicadores de Desempenho (Prático)

Você consegue calcular o desempenho da sua empresa para saber se ela está indo bem ou mal? Se eu perguntasse diretamente se a sua empresa está progredindo ou crescendo você conseguiria comprovar a sua resposta por meio de números? Definitivamente quem deseja entender como fazer a empresa crescer precisa saber que só é possível fazer isso por meio de indicadores de desempenho.

Você pode até me dizer o real crescimento da empresa de acordo com a sua experiência e feeling, entretanto os indicadores de desempenho são os instrumentos mais confiáveis para de fato medir se a sua empresa está ou não crescendo com solidez financeira. Existem, basicamente, 7 indicadores de desempenho realmente eficientes que você pode utilizar.

Se você ficou interessado em saber mais sobre esses indicadores de desempenho para conseguir mensurar o crescimento da empresa, acompanhe este artigo até o final e assista ao vídeo. 

ASSISTA AO VÍDEO: “Como Criar Indicadores de Desempenho (Prático)”

O que são indicadores de desempenho?

Os indicadores de desempenho são instrumentos muito poderosos que ajudam na administração de uma empresa. Se você ainda não os utiliza no seu negócio, existe grande chance de estar ativando a fragilidade do gestor na sua empresa – isso porque a administração do seu negócio provavelmente é mais baseada em intuição e também na sua experiência enquanto gestor. 

Não existe nada de errado nisso. Entretanto, é muito importante que você também meça o desempenho da sua empresa através de números palpáveis e indicadores concretos, que são os indicadores de desempenho.

Os indicadores de desempenho são regulados tanto por percentuais, quanto por números absolutos. Por exemplo, se você vai medir um indicador de vendas da sua empresa para saber se elas estão crescendo ou não, você calcula esse número por percentual. Desta forma, você pode dizer “Minhas vendas estão crescendo 20% a cada mês” ou você pode calcular isso por número absoluto, por exemplo, “Eu vendia R$1 milhão e agora estou vendendo R$1,2 milhão”.

Existem essas duas maneiras para medir os indicadores de desempenho. Nesse sentido, os indicadores de desempenho normalmente passam pela sua área comercial, pelo financeiro, pelas vendas, pelos clientes, também pelo produto que você vende ou serviço que oferece, além dos seus colaboradores. Enfim, por diversas áreas da empresa.

7 indicadores universais que se aplicam a qualquer empresa

Existem 7 indicadores de desempenho que eu considero universais, pois eles se aplicam a empresas de qualquer natureza. Anote, portanto, cada um deles porque certamente eles servirão para medir o crescimento da sua empresa.

  • 1. Indicador de vendas

O primeiro indicador é o de vendas. Que é aquele que indica se as vendas na sua empresa estão aumentando ou não. Você pode medir esses dados por percentual, conforme citado, ou por números absolutos.

O importante é que você estabeleça como indicador de desempenho para as vendas algo acima de 5%, se puder estabelecer um percentual maior que esse, melhor ainda. 

Desta forma, você vai calcular mês a mês e ano a ano, o quanto as vendas do negócio estão crescendo sob o ponto de vista de quantidade, de valor de vendas, de faturamento ou de percentual. 

  • 2. Indicador de lucratividade

Esse indicador é aquele que ampara o indicador de vendas. Isso porque não adianta você crescer e ter margem baixa de lucratividade. 

Portanto, você precisa ter um indicador que vai medir se a margem de lucratividade da empresa está crescendo ou não. Se ela está sendo mantida no mesmo patamar ou se ela está diminuindo.

É claro que esse indicativo deve ser feito de acordo com o seu negócio, já que os percentuais mudam de empresa para empresa. Entretanto, é fundamental que você meça isso, independente do modo. Isso porque não adianta apenas determinar a quantidade de vendas, ou seja, o quanto o seu faturamento aumentou, é essencial também calcular o quanto a empresa lucrou realmente.

  • 3. Indicador de produtos e serviços

Nesse caso em específico, normalmente você vai medir esses dados por meio de números absolutos. Nesse sentido, você vai analisar a quantidade de reclamações, por exemplo, que você tem recebido dos seus clientes – novamente isso pode ser feito mês a mês –, a quantidade de produtos que tem sido entregue com defeito, produtos ou serviços entregues em atraso, expectativas que você não está atendendo em relação ao seu cliente. 

Nesse ponto, o objetivo é medir todos os aspectos que têm relação com o produto e serviço oferecido pela empresa ao cliente.

  • 4. Indicador de quantidade de cancelamento de contratos

Nesse sentido, é importante analisar a quantidade de cancelamento de contratos que você está tendo no ano ou, de outro ponto de vista, a não renovação de contratos. 

Imagine que você tem um contrato com um cliente que renova todos os anos, e este ano, em específico, aquele cliente simplesmente decidiu não renovar o contrato com a sua empresa.  Mas, para entender de fato o que aconteceu, você precisa medir esse indicador de desempenho. 

Esse indicador é extremamente poderoso porque ele vai direto ao ponto. Ele é efetivo, ou seja, mostra para o cliente a relação custo-benefício entre o que você cobra dele e o que você presta.

  • 5. Indicador relacionado à capacitação dos funcionários e do gestor

Esse indicador mede a capacitação dos seus colaboradores e também a sua própria capacitação enquanto empresário, uma vez que você deve ter o mínimo de conhecimento sobre gestão empresarial para conseguir tocar o seu negócio.

Nesse sentido, você deve medir a quantidade de horas que investe em si e em seus colaboradores em relação a treinamentos e capacitação, seja em uma sala de aula, em aulas online, leituras, grupos de estudos que vocês desenvolvem, enfim.

O essencial é medir a quantidade de horas que estão sendo investidas por mês e por ano na capacitação dos seus colaboradores. Um número interessante que você pode calcular é o mínimo de 40 a 80 horas por ano. Ou seja, cada colaborador seu deve ter em média 40 horas em que eles além de trabalharem, também estudem e se aperfeiçoem.

Uma dica nesse sentido é estar sempre de olho no Portal Sebrae, pois lá sempre existem cursos online disponíveis, além de diversos conteúdos relacionados a gestão e administração de empresas para empreendedores entenderem como gerenciar uma empresa e também para colaboradores que desejam melhorar sua performance na empresa e no mercado de trabalho de um modo geral. 

Por isso, se você deseja entender como fazer a sua empresa crescer rápido e com solidez financeira, precisa sempre buscar capacitação para si e para seus colabores.

  • 6. Indicador de índice de rotatividade

Este indicador está diretamente relacionado ao item anterior. Quer dizer, é preciso calcular o índice de rotatividade dos seus funcionários, ou seja, o quanto as pessoas que você contrata estão indo embora. Isto é, qual é o grau de rotatividade da empresa? Os funcionários permanecem por um longo período trabalhando na empresa ou entram e saem com frequência?

Esse indicador é muito importante para apontar se as condições da sua empresa não são favoráveis para reter os talentos ou se o seu processo de seleção não está sendo suficientemente bom para contratar. 

  • 7. Indicador que mede as melhorias da sua empresa

O sétimo e último indicador muito importante é aquele que vai medir a quantidade de inovações e melhorias que você, empresário, está fazendo na sua empresa. Seja em relação aos aperfeiçoamentos e correções que você faz nos seus produtos ou serviços, mas também em relação às melhorias e aperfeiçoamentos que você faz nos processos internos da sua empresa, como atendimento, suporte ao cliente, pós-venda, entre outros.

No processo de administração de empresas, é extremamente importante que o gestor invista em melhorias não só nos produtos ou serviços, mas também nos processos da empresa, de modo a oferecer melhores experiências e bem-estar ao cliente e também aos colaboradores.

Portanto, esses são os 7 indicadores de desempenho que se encaixam a qualquer empresa. É claro que você pode buscar outros indicadores que mais se adaptam ao que você precisa realmente para analisar se o crescimento da empresa está sendo satisfatório ou não.

Dessa forma, a fragilidade do gestor pode realmente causar um impacto negativo no seu negócio. Entretanto, no total existem 11 fragilidades que derrubam sua empresa. 

Para corrigir todas elas e entender como fazer a empresa crescer, inscreva-se para uma Mentoria Gratuita no link: http://as11fragilidades.com.br/mentoria/ para que depois de conhecer a sua empresa eu possa oferecer a mentoria máster. 

Para ter acesso aos demais vídeos dessa série de como fazer o negócio crescer e conferir dicas de como administrar uma empresa, inscreva-se em meu canal no YouTube por meio do link http://bit.ly/CanalOthederaldo.

Como ter controle financeiro da empresa (Comprovado)

Você sabe o momento em que sua vida como empresário pode virar um verdadeiro inferno? Simplesmente quando você se vê sem dinheiro na empresa. Isso pode acontecer de repente, a partir de um evento inesperado ou pode ir acontecendo lentamente e quando você menos espera, já não há mais dinheiro para pagar as despesas do próximo mês. Esse é realmente um risco financeiro muito grave que pode afetar o seu negócio.

Isso porque quando tal situação acontece, cria-se um problema muito grande, porque afeta tanto a operação da sua empresa quanto mexe também com a sua vida pessoal. Afinal, quem tem uma empresa normalmente depende do negócio para sustentar sua vida de um modo geral. 

Esse fator combinado com os problemas financeiros gerados na empresa realmente pode gerar um pesadelo enorme na vida do empresário. Mas, você sabe como reduzir o risco financeiro e promover uma gestão financeira eficiente na empresa? Se ainda tem dúvida para responder essas perguntas, assista ao vídeo “Como ter o controle financeiro da empresa (Comprovado)” e entenda mais.

ASSISTA AO VÍDEO: “Como Ter Controle Financeiro da Empresa (Comprovado)”

O risco financeiro

Você sabe por que a falta de dinheiro na sua empresa pode causar tanto transtorno? Bom, primeiro porque você ficará sem dinheiro para pagar seus fornecedores e até mesmo para arcar com a sua folha de pagamento. Essa situação realmente seria muito desagradável, não é mesmo? 

Isso porque se você não tiver dinheiro para quitar os seus débitos com fornecedores, colaboradores e folha de pagamento, você corre o risco de perder funcionários, de não ter fornecedores para comprar os materiais necessários para produção e aí pode surgir um problema muito grande de continuidade do negócio.

Esse já é um grande problema por si só, mas, além disso, acaba afetando a imagem da sua empresa também. Imagine que a vida toda você preservou a imagem da sua empresa e de forma inesperada, não intencionalmente, se deparou com uma situação financeira muito grave e agora já não consegue mais honrar seus compromissos. Tal situação afeta totalmente a reputação da sua empresa, e quando algo afeta nossa reputação, fica muito difícil saber como fazer o negócio crescer porque você já não tem mais a confiança do mercado.

Também pode acontecer outra coisa quando você se encontra em meio a um risco financeiro. O cliente simplesmente acaba percebendo tal situação e existe o risco dele não querer mais continuar fazendo negócio com você. Afinal, nenhum cliente quer permanecer fazendo negócio com uma empresa que está frágil financeiramente.

Por fim, não posso deixar de mencionar que isso certamente afetará sua vida pessoal. Você, como todo mundo, possui despesas, tanto pessoais quanto da sua família. E aí, quando algo afeta nossa família, principalmente na questão financeira, pode realmente haver um transtorno muito grande, ao ponto de não conseguir resolver nem um problema, nem outro. Não se consegue pensar direito na empresa, nem em formas de resolver os problemas e muito menos decidir como se fazia antes.

Recomendação básica: Fuja dos problemas financeiros

Você deve estar pensando, “Mas como evitar problemas financeiros?”, a resposta é simples: fuja deles desde o começo. Dessa forma, procure tornar o seu negócio sólido financeiramente desde o início. É claro que no início é comum termos uma fragilidade financeira maior, afinal a empresa está começando, não possui reserva e nem capital financeiro. 

No entanto, à medida que a empresa começa a caminhar e crescer, você, empresário, deve ir aos poucos construindo essa solidez financeira, fazendo uma gestão financeira controlada e eficiente a fim de evitar questões como essas que acabamos de citar e entender de fato como ter controle financeiro no negócio.

5 medidas para evitar problemas financeiros na sua empresa

Como ter o controle financeiro? Essa sem dúvida é a pergunta que você deve estar se fazendo agora. Por isso, eu vou falar sobre 5 medidas para você conseguir evitar problemas financeiros na sua empresa, para que seja possível ter um negócio sustentável do ponto de vista financeiro.

  • 1. Sua empresa precisa ter lucratividade

Entender como aumentar a lucratividade é um dos passos mais importantes para fazer e ter o controle financeiro da empresa e evitar problemas financeiros.

Muitas vezes nós empresários achamos que para resolver os problemas financeiros na nossa empresa é preciso vender e vender cada vez mais. Vender é fundamental, é claro, pois vender faz entrar dinheiro na empresa.

Entretanto, somente as vendas não resolvem os problemas financeiros da sua empresa, isso porque as vendas podem ser deficitárias, ou seja, você vendeu, mas vai gastar mais para fazer a entrega daquele produto do que o valor da venda propriamente dito.

Por isso, é necessário realmente fazer com que a empresa gere lucro. Nesse sentido, dar lucro significa fazer vendas que sejam rentáveis e conseguir na prática calcular a rentabilidade do seu negócio. Saber como controlar o fluxo de caixa nesse sentido é fundamental.

Um grande problema das pequenas e médias empresas é não conseguir calcular a rentabilidade, ou porque não dão muita importância a isso, ou porque acham muito chato fazer determinados cálculos. Enfim… O fato é que você tem que ter controle sobre a gestão financeira e saber se o seu negócio está dando lucro ou não. Portanto, procure aprender este cálculo.

  • 2. Evite desequilíbrio na empresa

Quando falamos sobre a gestão financeira do negócio, chega um determinado momento em que a empresa precisa ter equilíbrio financeiro. Isto é, o fluxo de caixa precisa estar positivo a maior parte do tempo.

Quando você dá um choque na empresa e desequilibra ela financeiramente, é provável que ocorra uma desestabilização e, com isso, a empresa fica sem dinheiro.

O caso mais comum de acontecer isso que estou citando é quando você tem concentração de clientes. Isto é, quando você tem um cliente que representa 30 ou 40% da sua receita total. Ou seja, você fatura R$100 mil no mês e R$40 mil são apenas de um único cliente.

Sabe por que isso é um problema? Porque se esse cliente for embora você terá um impacto financeiro enorme no seu fluxo de caixa. Isso é o que eu chamo de desequilíbrio na empresa. Assim, você, como empresário, deve evitar concentração de clientes, pois isso pode gerar um impacto negativo muito grande no seu negócio.

  • 3. Gerencie de perto o seu fluxo de caixa

Mais importante do que seu balanço ou as informações que o seu contador te dá é saber como controlar o seu fluxo de caixa. Afinal, é o fluxo de caixa que traduz ao longo do tempo o dinheiro que você vai ter disponível para poder pagar suas despesas e para fazer os investimentos que sua empresa necessita.

Por isso, o fluxo de caixa é onde entram as receitas e saem as despesas, então é o que sobra ali no dia a dia para você tocar o seu negócio. Você precisa, portanto, gerenciar esse caixa. Mas, não é gerenciar de vez em quando, uma vez na semana, por exemplo. É preciso fazer isso todos os dias, de perto e continuamente. Fazer isso é ter um controle mais eficiente e segurança sobre se vai faltar dinheiro ou não.

  • 4.Controle a saúde financeira do negócio

Nesse ponto eu não estou falando somente sobre o controle de fluxo de caixa, eu falo sobre todos os controles que você como empresário precisa ter sobre o seu negócio. Isso inclui controle de gastos, controle de despesas, de custos fixos e variáveis, entre outros.

É preciso, portanto, ter um controle muito próximo do seu negócio. Isso porque se você não tiver o controle financeiro da sua empresa, você não terá controle sobre nada dentro dela. Por isso, você precisa ter processos, automatizar os controles por um sistema ERP, entre outras medidas que otimizem a gestão financeira.

  • 5. Se capacite em gestão financeira

Enquanto empresário você também deve se capacitar em gestão financeira a fim de evitar problemas financeiros no seu negócio e ter uma gestão e controle financeiro realmente eficiente dentro da empresa. É necessário ao menos ter a capacitação básica em administração financeira para que seja possível, inclusive, aplicar as 4 medidas citadas anteriormente. No Portal Sebrae, inclusive, você consegue encontrar diversos conteúdos e cursos para capacitação empresarial.

Por isso, estude – principalmente se você não tem formação nenhuma nessa área. Não deixe de priorizar essa capacitação para que você realmente consiga tomar decisões com base em números e assim entender como fazer a empresa crescer rápido e com solidez financeira.

Portanto, essas são as 5 medidas que podem ajudar você a reduzir o risco financeiro na sua empresa e ter total controle financeiro sobre ela.

Dessa forma, a fragilidade financeira realmente existe e pode causar um impacto negativo no seu negócio. Entretanto, no total existem 11 fragilidades que derrubam sua empresa.

Para corrigir todas elas e colaborar cada vez mais com o crescimento da empresa, inscreva-se para uma Mentoria Gratuita no link: http://as11fragilidades.com.br/mentoria/ para que depois de conhecer a sua empresa eu possa oferecer a mentoria máster.

Para ter acesso aos demais vídeos dessa série de como fazer o negócio crescer e conferir dicas de como ter controle financeiro, inscreva-se em meu canal no YouTube por meio do link http://bit.ly/CanalOthederaldo.