GREVE DOS CAMINHONEIROS – O ATAQUE DA FRAGILIDADE

Dois acontecimentos recentes causaram prejuízo a muitos empresários, talvez tenha sido seu caso.

Um deles se refere a um prédio que desabou na cidade de São Paulo. E o outro acontecimento, todo mundo sentiu na pele: a greve dos caminhoneiros, que parou o país.

Você consegue adivinhar de qual das 11 Fragilidades estamos falando? Da Fragilidade do Evento Externo, certamente.

Neste artigo, você vai saber que problemas esses dois acontecimentos causaram a quem tem uma empresa (ou tinha, porque muitos quebraram) e o que poderia ter sido feito para evitar ou reduzir o tamanho do problema.

Apenas para lembrar, a Fragilidade do Evento Externo é aquela que se manifesta quando eventos, vindos de fora, atingem negativamente a sua empresa. Essa Fragilidade é muito perigosa porque normalmente você tem pouco controle sobre ela e, por isso, você tende a se acomodar, o que é um perigo.

O prédio que desmoronou no centro de São Paulo tinha 24 andares. O edifício havia sido invadido já alguns anos e era ocupado irregularmente. Um incêndio iniciado em um dos andares pôs fogo em todo o edifício, que o fez cair de vez.

Já imaginou o estrago que um prédio desse porte causa nos arredores, quando ele cai? Para você ter uma ideia, quatro outros edifícios próximos ao prédio que caiu foram interditados. As pessoas não podiam entrar.

E o pior: ruas próximas aos prédios foram interditadas. Como estamos falando de uma região fortemente comercial (centro de São Paulo), muitos empresários não puderam abrir sua empresa por vários dias, alguns deles por semanas.

Calculou o tamanho do prejuízo? Você ser obrigado a fechar sua empresa inesperadamente. E estamos falando de pequenos negócios, em que o empresário depende dele para sobreviver.

Com o negócio parado, como será que o empresário conseguiu pagar as contas da empresa, além das despesas pessoais, da família?

Um problema que pegou muita gente desprevenida. O que você poderia ter feito se fosse apanhada por um caso desses?

Falando agora do nosso segundo evento, a greve dos caminhoneiros, os prejuízos atingiram dezenas de bilhões de reais para quem tinha um negócio.

É difícil estimar com precisão os prejuízos, porque enquanto algumas empresas interromperam parte da cadeia de produção, outras pararam de vez. Mas já se sabe que as perdas foram enormes, e muita gente quebrou.

Não sei o seu ramo de atuação, e o quanto você sofreu de danos, mais imagine um restaurante que não conseguiu se abastecer e teve de fechar as portas, ou reduziu a oferta de refeições.

Uma lanchonete da rede Subway, perto da minha casa, que vende sanduíches, fechou por um tempo: colocaram um aviso na porta informando que estavam sem produtos para continuar operando.

Isso sem esquecer os motoristas da Uber… quanto será que tiveram de prejuízos, sem combustível para rodar?  Até aeroportos internacionais suspenderam temporariamente as atividades. Um verdadeiro caos!

Nos dois casos, foi a Fragilidade do Evento Externo em ação. Esta Fragilidade normalmente não recebe a devida a atenção do empresário. Porque você acredita que esses problemas nunca vão atingir sua empresa.

Mas você deve pensar o contrário: exatamente porque são problemas que você não tem muito controle é que você deve se preparar, pois se não o fizer, eles podem lhe derrubar.

Mas fazer o que exatamente? Existem 2 providências que você precisa estabelecer para lidar com a Fragilidade do Evento Externo.

A primeira delas é mapear e tratar todos os eventos externos que podem impactar negativamente o seu negócio, o que vai depender do seu ramo de atividade.

No caso de um restaurante, por exemplo, é preciso prever a escassez de alimentos, a falta de energia, uma inundação na rua onde está localizado o restaurante, entre outros eventos externos.

Ainda falando da primeira medida, depois de identificar os eventos que podem lhe atingir, você deve implantar as ações de contingência para lidar com essas situações, para que os danos ao seu negócio sejam evitados, ou minimizados (caso não possam ser evitados). Essa é a ideia.

A segunda providência é ligar o radar. Você tem de se planejar para o que der e vier. Não pode ficar dependendo do Governo ou de outros fatores que estão fora da empresa.

Para não ser pego desprevenido, é fundamental estar informado sobre tudo aquilo que tem relação direta com seu negócio, além dos assuntos que afetam as empresas em geral.

É necessário que você leia jornais e revistas do seu setor de atuação, converse com empresários do ramo, participe de eventos etc., mantendo-se a par do que acontece ao seu redor.

Essas são duas medidas muito eficazes para você lidar com a Fragilidade do Evento Externo. Não corra riscos indevidos. Proteja sua empresa.

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.