O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (X) A FRAGILIDADE DA DECISÃO

Realizar um Planejamento Estratégico ajuda bastante a lidar com a Fragilidade da Decisão, porque é mais fácil decidir quando você sabe aonde quer chegar.

Para elaborar o Planejamento Estratégico da sua empresa, siga 3 passos:

1) ELABORE A VISÃO DE FUTURO – antes de pensar nos problemas atuais (que podem lhe impedir de sonhar), estabeleça uma visão clara do futuro que você deseja para sua empresa, seus colaboradores e você próprio. Liste seus objetivos para o futuro, num horizonte de 3 a 5 anos.

2) FAÇA UM DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO – analise como a empresa se encontra hoje. Levante os 5 maiores problema da empresa. Utilize como referência o livro as “11 Fragilidade Que Derrubam Sua Empresa” , que lhe dará o panorama geral de todas as partes da empresa. Em seguida, classifique os problemas por ordem de prioridade. Os primeiros da lista são os mais graves para você.

3) DEFINA O QUE DEVE SER FEITO – determine os passos, projetos e atividades que você precisa realizar para alcançar sua Visão de Futuro e para resolver os problemas atuais. Esta é a fase operacional do planejamento, onde entra o “como” você vai alcançar as metas desejadas.

O CLIENTE É SEU AMIGO?

Você tem algum cliente que considera um amigo? Se você disse sim, fico feliz, porque não é fácil ter amigos hoje em dia. A má notícia é que não existem clientes que sejam amigos ao mesmo tempo.

O que prevalece entre você e o cliente é a relação comercia. Um amigo é aquela pessoa que você conta quase tudo da sua vida, inclusive os eventuais problemas financeiros das sua empresa .

Nada disso você deveria revelar a um cliente, certo? O cliente espera que você resolva os problemas dele e não o contrário. Além do mais, se o cliente fica sabendo que sua empresa não anda bem, talvez não queira mais comprar de você.

O cliente não compra de você porque é seu amigo, mas porque sua empresa tem um ótimo produto para ele.

Pensar que o cliente pode ser seu amigo, atiça a FRAGILIDADE DO CLIENTE.

 

“Em negócios não há amigos; há apenas clientes. “, Alexandre Dumas.

RISCOS E FRAGILIDADES SÃO PROBLEMAS DIFERENTES

,

Riscos e Fragilidades são coisas diferentes. Entender a diferença entre os dois é essencial para a sobrevivência do seu negócio.

Hoje você vai saber o que distingue Risco de Fragilidade e como isso vai lhe ajudar no crescimento do seu negócio.

Tanto Risco como Fragilidade causam danos e prejuízos a sua empresa e, em alguns casos, também a você diretamente. Nesse aspecto, eles são iguais.

Porém, Risco e Fragilidade são muito diferentes num determinado ponto:

Risco é um evento futuro, que pode acontecer ou não. Quer dizer, há sempre um grau de incerteza quanto ao risco virar realidade. Porque se você tem certeza que ele vai acontecer, ou mesmo se ele já se materializou, não se trata mais de um risco e sim de um problema, um fato concreto.

Por exemplo, uma coisa é você perceber que sua empresa está correndo o risco de entregar um serviço importante com atraso para o cliente. Mas se o atraso já ocorreu, não se trata mais de risco e sim de um problema ocorrido. O risco agora é o do cliente ficar bravo com você por causa do atraso.

Já Fragilidade é algo no presente e não no futuro (caso do risco). É uma fraqueza interna da empresa, uma rachadura na estrutura que pode lhe derrubar no chão.

Exemplo: imagine que você, o dono da empresa, não gosta muito de vender, você acha que não leva jeito para vendedor. O que você gosta mesmo é de desenvolver os produtos, de prestar os serviços e atender diretamente o cliente.

Se isso for verdade, eu preciso lhe dizer que você tem um problema instalado, porque sua empresa tem uma fragilidade grave, que é a Fragilidade da Venda. Isso porque numa pequena e média empresa o principal vendedor deve ser você.

Vender é tarefa que não deve ser delegada para ninguém. É claro, sua empresa pode ter vendedores, mas o principal deles deve ser você, ou dificilmente a empresa vai crescer de verdade.

Essa então é a grande diferença entre Risco e Fragilidade: o primeiro é futuro e o outro, presente. Os dois precisam ser tratados na hora certa e utilizando um método adequado.

E como você bem sabe, porque vem acompanhando meus conteúdos, são 11 Fragilidades que você precisa corrigir. Que elas estão presentes não tenha mais dúvidas, porque elas estão lá, infiltradas na sua empresa.

O que você tem de fazer para proteger o seu negócio é localizar as 11 Fragilidades e tratar todas elas, para não ser pego desprevenido, pondo em perigo seu patrimônio.

O SEGREDO DOS GIGANTES PARA RESOLVER A FRAGILIDADE DA NORMA

“O SEGREDO DOS GIGANTES
As grandes empresas desenvolveram ao longo do tempo métodos eficazes para gerenciamento das normas às quais estão sujeitas. Elas chegaram nesse estágio avançado porque – exatamente por serem grandes – estão sempre na mira dos órgãos governamentais. Quando companhias maiores dão qualquer passo em falso, correm o risco de sofrer sérias penalizações.

Além do mais, no caso de alguma infração mais grave, elas podem vir a ter suas operações suspensas. Já imaginou o tamanho do prejuízo se o McDonald’s perdesse um certificado ambiental e, por isso, fosse obrigado a deixar de vender em um determinado país? É por essa razão que as grandes empresas se aperfeiçoaram no controle das normas.

Para as pequenas e médias empresas, aprender com as grandes é uma boa alternativa para evoluir.” extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

 

CONTROLE A FRAGILIDADE DA NORMA – SEJA ÉTICO

SEJA ÉTICO ANTES DE TUDO:
1) Cumpra as suas promessas;

2) Não fale mal dos concorrentes;

3) Não finja que as ideias de outros são suas;

4) Admita seus erros e não culpe outras pessoas;

5) Não minta;

6) Não constranja seus colaboradores.

SE VOCÊ, O DONO DA EMPRESA, NÃO DER O EXEMPLO, QUEM O FARÁ?

CONTENHA TODAS AS FRAGILIDADES, SEMPRE

Nunca relaxe, mesmo quando tudo parece caminhar bem na sua empresa. Lembre-se: as empresas em geral (é provável que a sua não seja diferente) possuem 11 Fragilidades e Riscos que precisam ser observados todo o tempo.

Ainda que você acredite que está imune a uma determinada Fragilidade, ela pode rachar de repente, simplesmente porque você se descuidou dela. As 11 Fragilidades são como as pilastras que sustentam sua empresa.

Se você não mantiver todas firmes, uma delas pode ruir e derrubar sua empresa. O segredo é nunca se sentir seguro, sempre corrigindo os seus pontos fracos.

 

“A melhor maneira de ficar em segurança é nunca se sentir seguro. “, Benjamin Franklin.

4 MEDIDAS SIMPLES PARA REDUZIR OS RISCOS DA EMPRESA

Correr riscos não é opcional para quem dirige uma empresa, porque assumir riscos é parte da atividade empresarial, não dá para fugir disso.

O que você pode fazer é reduzir os riscos da sua empresa, e seu próprio risco como empresário. E para lhe ajudar nesse sentido, hoje eu vou falar sobre que 4 medidas simples para você controlar bem os riscos.

São ações que se complementam, uma depende da outra, e por isso é importante você ler o artigo até o final.

Este é mais conteúdo sobre a 11 Fragilidades e Riscos, que por objetivo lhe ajudar a crescer, porém de forma sustentável.

E a primeira medida é identificar todos os eventos futuros (os riscos) que podem lhe impedir de alcançar suas metas e também lhe atingir negativamente.

Este é sem dúvida o primeiro passo, porque você só é capaz de enfrentar um inimigo quando sabe se ele realmente existe. Então é preciso identificar os riscos em primeiro lugar. Por exemplo, existe algum risco de você ficar sem caixa nos próximos meses, porque os negócios não andam bem?

A segunda medida é avaliar os riscos, para saber se eles são realmente relevantes para você –  porque podem não ser. Se você detectou que existe um risco, mas ele não terá grandes impactos para sua empresa, para que você iria se preocupar com ele? Num caso desses, tire a preocupação da sua frente.

Sua cabeça precisa estar concentrada naquilo que é importante, ou seja, nos riscos que de fato causarão um problema maior para você. Por exemplo, voltando ao exemplo anterior, se você ficar sem dinheiro, além de dificultar a vida da sua empresa, o problema afetará também sua vida pessoal e da sua família. E você não vai querer que isso aconteça!

E cuidado: existem técnicas para avaliar os riscos corretamente, utilizando as variáveis do Impacto e da Probabilidade. O processo é um tanto intuitivo, com base na sua experiência, mas é preciso fazer as perguntas corretas para avaliar os riscos corretamente. Se você não tem experiência na avaliação de riscos, sugiro pedir ajuda a um especialista.

Terceira medida: definir a resposta ao risco. O vídeo Como Responder aos Riscos  explica as 4 alternativas para tratar dos riscos. Em resumo, você pode desistir do risco, assumir o risco sem fazer nada, transferir o risco para terceiros ou reduzir o risco.

Se você decidir por reduzir o risco, deve então implantar algum controle. É simples assim! Você segue a vida com o risco, mais estabelece uma ou mais ações para lidar com ele.

E a quarta medida é monitorar o risco e os controles que você implantou. A sua empresa está em constante mudança, assim como os riscos que ela corre. Um risco que você avaliou como pouco importante hoje, pode ser tornar algo amanhã. É preciso acompanhar.

E o mesmo acontece com os controles que você implantou: você deve verificar se eles estão sendo eficazes para controlar os riscos conforme você planejou. Por se não estiverem, você terá de melhorar eles, para não ficar gastando dinheiro em vão.

Essas são as 4 medidas para gerenciar os riscos: identificar, avaliar, controlar e acompanhar. E isso se aplica a qualquer tipo de empresa, não importa o tamanho ou que ela faz, sempre existem riscos que você deve controlar.

Se você seguir esse método, vai enfrentar os riscos com mais segurança, porque saberá onde está pisando, evitando cair em algum buraco e se machucar. A tendência é que você se torne uma pessoa mais tranquila por esse motivo.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

QUE MÉTODO VOCÊ UTILIZA PARA CONTROLE DAS NORMAS?

“A última razão para você ser apanhado pela Fragilidade da Norma é, por um lado, a baixa prioridade que as pequenas empresas normalmente dão ao assunto e, por outro lado, a ausência de método eficiente para controlar as normas, tanto as internas quanto as externas.

Como todo bom empresário, você não deve gostar muito de lidar com a burocracia de documentos, de checar se as certidões estão em dia, de acompanhar o recolhimento dos impostos, entre outras coisas do gênero. Possivelmente você prefere focar nas vendas, no desenvolvimento do produto, nas questões estratégicas da companhia. A situação não é diferente com outros empresários. Todavia, a falta de acompanhamento das normas mais importantes pode lhe causar transtornos no futuro.

Em complemento à baixa prioridade para lidar com o assunto, normalmente as empresas não dispõem de métodos adequados para a gestão das normas. Devido à variedade e à complexidade dos regulamentos, não é trivial implantar controles que funcionem a contento.”, extraído do livro As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa.

 

Aproveite e adquira o livro inédito “As 11 Fragilidades Que Derrubam Sua Empresa“.

3 DICAS PARA OS COLABORADORES CUMPRIREM AS NORMAS

3 DICAS PARA OS COLABORADORES CUMPRIREM AS NORMAS:

 

1) COMUNIQUE – Se não souberem que há regras específicas, as pessoas não poderão incorporá-las. Não espere que elas se comportem como deveriam, nada é óbvio. Comandos claros e precisos são fundamentais.

 

2) CAPACITE – Instruir os colaboradores sobre a execução das normas é outra medida essencial. Os treinamentos devem ser repetidos sempre que novos regulamentos surgirem ou quando colaboradores forem recém-contratados.

 

3) TESTE – Confira se os colaboradores estão executando as normas conforme o esperado. Apesar da divulgação e dos treinamentos promovidos antes, saber que serão avaliados a qualquer tempo, deixa todos alertas quanto ao cumprimento das regras estabelecidas.

QUANDO A FRAGILIDADE LHE ATINGE DE JEITO, PODE SER TARDE.

As 11 Fragilidades da sua empresa são como rachaduras, que vão se estendendo lentamente, muitas vezes sem você perceber. Quando você abre os olhos para o problema, já era, a Fragilidade lhe derrubou.

Para se livrar desse perigo, é fundamental ouvir os sinais de que a empresa não anda bem, e aprender as lições para corrigir as fragilidades.

 

“A vida dá lições que só se dão uma vez”, Wiston Churchill