A FRAGILIDADE DA DECISÃO – COMO ACERTAR!

Hoje, falaremos de uma das fragilidades que mais prejuízos podem lhe causar: a Fragilidade da Decisão.

Para você, que dirige uma pequena ou média empresa, decidir nunca é uma tarefa fácil. Isso porque normalmente há muitas variáveis envolvidas e alguns assuntos são complexos por natureza. Por exemplo, já imaginou ter de decidir sobre qual será o seu produto principal, quanto cobrar pelos serviços, qual a melhor localização da empresa, qual o perfil ideal dos colaboradores?

A questão é que algumas decisões são estratégicas. Se você errar, corre o risco de selar o destino da empresa. Por exemplo, se você errar na hora que escolher seu público alvo, talvez pouca gente compre o seu produto lá na frente. Você investe muito no desenvolvimento do produto e depois não vende como imaginou! Já pensou nisso? É uma situação que pode quebrar a empresa.

O problema é que nós não temos uma bola de cristal que conte o que vai acontecer no futuro. A única maneira de fazer a empresa avançar é tomar decisões e seguir em frente. O que der errado, você conserta. Ficar parado é pior, pois você não chegar a lugar algum.

A possibilidade de errar está presente na sua vida de empresário, porque você precisa andar na dianteira, descobrindo os caminhos novos. É exatamente por esse motivo que a Fragilidade da Decisão fica por perto, observando o que você faz, esperando você errar para complicar sua vida. Não é fácil escapar dela!

É impossível se livrar por completo de qualquer uma das 11 Fragilidades, entre elas a Fragilidade da Decisão. O segredo é manter todas as fragilidades sob controle.

Tratando-se da Fragilidade da Decisão, existem três medidas simples para reduzir a possibilidade de ela lhe atingir:

1. Procure decidir mais a longo prazo do que a curto prazo.

Decisões de curto prazo se aplicam mais a situações rápidas e emergenciais. Porém, são as decisões de longo prazo que mudam o destino da empresa,

2. Envolva outras pessoas para ampliar sua visão e inteligência do grupo.

Sempre que lidar com questões complexas, evite tomar decisões sozinho. Troque ideias com pessoas da sua confiança e que de fato contribuirão para enriquecer o entendimento do assunto.

3. Pesquise, reúna dados do mercado, converse com outros empresários, ouça os clientes

Sempre que necessário, obtenha informações e dados de fora da empresa, ao invés de olhar apenas para o universo interno da empresa.